Nas últimas férias fizemos uma viagem maravilhosa de 15 dias de carro pela Alemanha. O roteiro que traçamos foi de Munique a Berlim, passando pela República Tcheca no caminho. Na verdade, só precisamos alugar o carro durante 7 dias, porque na primeira e na última cidade nós circulamos à pé.

Voamos KLM via Amsterdam e chegamos em Munique no dia 2. Passamos 4 noites na cidade, incluindo um passeio de um dia ao Castelo de Neuschwanstein. Na manhã do dia 6, pegamos o carro na locadora bem cedinho e fomos para Nuremberg (2h), onde encontramos uma amiga que conhecemos na viagem pelo Sudeste Asiático 🙂

► Veja as dicas de passeio em Munique 

 

castelo-de-neuschwanstein-visto-da-ponte-marienbrucke

Castelo de Neuschwanstein, perto de Munique

Tínhamos visto o post do Sunday Cooks sobre como é dirigir na Alemanha e estávamos animados, mas ao invés de escolher um carrão top como eles tinham sugerido, optamos por um modelo mais econômico ao alugar um carro. A gente só fazia questão de ter um porta-malas grande para caber toda a bagagem de nós quatro.

Agora imagina a nossa alegria quando a gente descobriu que, devido a disponibilidade da agência, tínhamos ganhado um upgrade do Passat para um BMW com marcha automática! Delícia de carro, super confortável e silencioso na estrada de asfalto lisinho da Alemanha!

Nossa amiga nos levou pra conhecer o campus da Adidas, que é meio afastado do centro mas vale a ida ao outlet pra quem curte fazer compras e está viajando de carro 🙂 A sede da Puma também é na cidade (eu nem sabia que as duas marcas esportivas tinham sido criadas por dois irmãos!).

Visitamos ainda o Centro de Documentação do III Reich, que tem uma exposição super completa sobre o período da Segunda Guerra (um grande aprendizado!), antes de ir passear pelo centro histórico e conhecer o antigo Castelo de Nuremberg.

► Veja dicas de hostels na Alemanha 

 

roteiro-pela-alemanha-castelo-de-nuremberg

Castelo de Nuremberg

No dia seguinte, a idéia era ir para Praga (2h), na República Tcheca, mas vimos no Weather Channel que estava chovendo torrencialmente na capital e resolvemos inverter a ordem do roteiro e visitar Kutná Hora primeiro – o tempo lá também estava nublado, mas conseguimos passar boa parte do dia sem pegar chuva. É lá que fica o Ossuário de Sedlec, uma igrejinha toda decorada com caveiras e esqueletos, um passeio bastante curioso!

O único problema é que, para ir a Kutná Hora direto de Nuremberg levamos quase 5h de carro, inclusive porque nos perdemos no caminho, então foi meio cansativo. Se tivéssemos parado em Praga antes, não teríamos ficado tanto tempo direto na estrada.

► Compare preços para alugar um carro

 

roteiro-republica-tcheca-o-que-fazer-em-kutna-hora

Kutná Hora: a cidade da prata na República Tcheca

Uma informação muito importante para quem vai viajar de carro: assim que se cruza a fronteira da República Tcheca, você tem que fazer um pitstop logo no primeiro posto de gasolina para comprar o adesivo do pedágio. É só ir no caixa da loja de conveniência e pedir a “vignette” (pronuncia-se “vinhét”), que custa uns 16 euros, se não me falha a memória. Daí você cola o adesivo no pára-brisa e pode seguir viagem.

Não existe cabine de pedágio em momento nenhum da estrada, mas se a polícia rodoviária te pega sem o adesivo da vignette colado no vidro do carro, você leva multa com certeza. E o pior: o policial decide o valor na hora – pode ser qualquer coisa entre 50 e 200 euros, por exemplo.

castelo-de-praga-arena-com-efeito-acustico-no-jardim-do-bastiao

Arena com efeito acústico no Castelo de Praga

Depois de passar o dia em Kutná Hora, chegamos finalmente a Praga, na noite do dia 7. O hostel Equity Point onde nos hospedamos não tinha estacionamento, mas demos sorte de conseguir uma vaga na mesma rua (grátis, sem talões nem moedas) e o carro ficou lá paradinho sem nenhum problema durante os 2 dias seguintes que passamos na cidade.

Circulamos sempre à pé, só usamos o bonde 1 vez, para subir o bairro do castelo. Além do carro ser desnecessário para se andar em Praga, grande parte da experiência de um viajante é provar as tradicionais e deliciosas cervejas tchecas, então dirigir pela cidade não é bom negócio.

► Veja dicas de passeios em Praga

 

roteiro-alemanha-frauenkirche-igreja-de-dresden

A igreja de Dresden reconstruída depois da guerra

No décimo dia da viagem, voltamos ao território alemão e conhecemos a linda cidade de Dresden. Duas coisas são muito marcantes nessa cidade: a arquitetura barroca da antiga capital do reino da Saxônia e as cicatrizes ainda não curadas da Segunda Guerra Mundial.

Caminhamos pelo centro, passamos pelo Zwinger, vimos as exposições do palácio da cidade – Dresdener Schloss – e à tardinha visitamos a Molkerei Pfunds (que é uma das lojas mais lindas do mundo) e conhecemos o lado mais moderninho de Dresden num bairro cheio de barzinhos e arte por todos os lados.

► Veja mais dicas de Dresden

 

roteiro-pela-alemanha-catedral-de-berlim

Catedral de Berlim: o destino da nossa viagem!

Na manhã seguinte, pegamos a estrada em direção a Berlim, nosso destino final. Lá, devolvemos o carro alugado e passamos 4 dias frios porém cheios de cultura e história. A viagem pela Alemanha acabou no dia 15, quando embarcamos de volta. As dicas de Berlim também estão todas aqui no blog.

Ao longo de toda a viagem, nos hospedamos em albergues muito bons – às vezes em suítes que pareciam de hotel. Vale a pena dar uma olhada nos hostels em que a gente ficou.

Gostou do roteiro? Tá pensando em viajar pela Alemanha? Curtiu outras cidades que a gente ainda não conhece? Comenta aqui no post! 🙂

Share

24 Comentários

  1. Muito boa, a viagem! A Alemanhã é um país muito belo e organizado. Falta-lhe o ‘tempero’ dos países latinos, mas é um destino para umas férias fantásticas em cidades com história e natureza. Belo trabalho!

  2. Adorei o roteiro Fernanda!

    Nunca pensei muito em conhecer a Alemanha, mas a cada post que leio sobre esse país me animo cada vez mais!

    Também não fazia a mínima ideia de que a Puma e Adidas tinham sido criadas por dois irmãos…hahaha

    Abraço

  3. Roteirinho bacana… sabe que estou editando um fotolivro para um casal que fez parte dessa viagem e estou aqui babando nessas fotos… daí hoje me deparo com seu post e tenho uma complementação histórica incrível para finalizar esse álbum aqui… obrigada, adorei!!!!

  4. Viajar de carro é tudo de bom, amo road trips, especialmente quando há paisagens lindas como deve ter na Alemanha 🙂 E essa viagem de vocês me pareceu muito proveitosa, roteiro super inspirador.

    E obrigada por mencionar sobre o adesivo no carro do pedágio, uma dica importantíssima para quem quer fazer esse roteiro de carro.

    Abraços

  5. Bom dia. Tenho uma viagem programada para Alemanha em novembro onde teremos 14 dias completos para passear. Gostaria de saber como foi o aluguel do carro de vcs, eu li que algumas agências tem restrições para quem pretende viajar para o leste europeu, vcs tiveram algum problema? Qual agência e carro vcs alugaram? Pretendo fazer quase o mesmo roteiro q vcs, vamos chegar em Munique e voltaremos para o Brasil por Berlim. Parabéns pelo blog, está me ajudando bastante na escolha do roteiro.

    • Oi, Jeremias! A gente alugou o carro pelo RentalCars com uma locadora chamada Buchbinder. Não tivemos nenhum problema em passar para a República Tcheca (só tivemos que ter o cuidado do pedágio, como contei no texto).
      Fico super feliz de saber que o blog está ajudando! Se puder, faz a reserva do carro pelo link acima, para dar aquela força pra gente (o blog recebe uma comissãozinha pela indicação, sem que isso altere o preço para você) 🙂
      Um abraço e boa viagem!

  6. Boa tarde! estou com viagem marcada para fevereiro/2017 estava pensando em alugar um carro,mas como é inverno estou um pouco receosa, qual a sua opinião? adorei sua matéria seu blog está me ajudando muitooooo.

    • Oi, Carol! Depende muito da região da Alemanha (clima/estrada), mas dirigir no inverno pode ser complicado para quem não experiência com neve. Procura “winter drive in Germany” no Youtube para ver como as condições variam… As locadoras de carro costumam fornecer pneus adequados e outros acessórios que sejam necessários ou mesmo obrigatórios, mas se você não estiver se sentindo segura para dirigir, viajar de trem é uma ótima opção – bastante segura e confortável. As estações costumam ser no centro das cidades, o que é super prático. O site oficial Bahn.com tem os trajetos com horários e preços.
      Muito legal saber que o blog está ajudando! Quando for reservar seus hotéis, se quiser dar uma força pra gente, usa os links aqui do blog para o Booking. Assim a gente recebe uma comissãozinha que ajuda a manter os custos, sem que você tenha que pagar nem 1 centavo a mais por isso 🙂
      Abs e boa viagem!

  7. Caros,

    Estou pesquisando dicas sobre viagens à Alemanha. Pretendo ir lá no final do ano.
    Tive uma dúvida sobre a questão de carros locados na Alemanha quando se quer ir à Republica Tcheca.
    O que eu ouvi dizer era que BMW não poderíam atravessar a fronteira por recomendação das locadoras, devido ao risco de roubo.
    Vocês tiveram algum problema sobre isso? Ouviram dizer alguma coisa?

    Obrigada desde já,

    Mayara Picchi

    • Oi, Mayara! Tudo bom?
      Algumas locadoras não permitem que seus modelos mais luxuosos circulem no Leste Europeu devido ao alto índice de roubos de carros de luxo, mas caros populares alugados na Alemanha não costumam ter restrição na República Tcheca. Tem um tópico interessante sobre isso no fórum Mochileiros.com, vale dar uma olhada.

      Não tivemos nenhum problema na nossa viagem, mas nossa reserva original tinha sido de um carro mais popular (o BMW acabou sendo um upgrade circunstancial, pela disponibilidade da locadora). O importante é que você inclua os países de destino ao fazer a reserva, para que a empresa possa apontar o seguro adequado, informar eventuais restrições etc.

      Obrigada pela visita ao blog e boa viagem! Espero que você se divirta nesse roteiro como a gente se divertiu ?

Exibir Comentários

Deixe uma resposta

Close