Os livros da Bebelplatz, em Berlim

A Bebelplatz, a sul da avenida Unter den Linden, é um dos lugares mais interessantes de Berlim. Para começar, nela fica a biblioteca da Universidade Humboldt, onde estudaram Karl Marx, Albert Einstein e um montão de outros gênios (29 ganhadores de Prêmios Nobel!). Do outro lado, está o prédio do banco para onde tanto corre a personagem do filme “Corra, Lola, Corra”.

Bebelplatz Berlim - Humboldt University
Humboldt, a universidade de gênios

Lá também ficam a Catedral de St. Hedwig, que foi a primeira igreja católica da Prússia depois da Reforma Protestante, e o lindo (por dentro) prédio da State Opera, que dava nome à praça – Opernplatz, antes que passasse a homenagear August Bebel, um dos fundadores do Partido Social Democrata Alemão no século 19.

Mas a queima de livros, em 1933, é de longe a história mais incrível desse lugar. Durante o regime nazista, tudo o que fosse crítico ou desviasse dos padrões impostos pela doutrina hitlerista entrava na lista de publicações proibidas. Organizações estudantis, com apoio da polícia e dos bombeiros, se encarregaram da destruição de 20 mil livros em toda a Alemanha, a maioria pertencente a bibliotecas públicas.

Bebelplatz Berlim - Memorial da Queima de Livros
Memorial da Queima de Livros

A Bebelplatz foi palco de uma dessas grandes e terríveis fogueiras, sob a justificativa de que a literatura alemã precisava ser purificada de elementos considerados “undeutsch”.

Hoje, no meio da Bebelplatz, há uma placa de vidro no chão que revela, sob a praça, prateleiras de livros vazias. É um memorial discreto porém muito bonito. Ao lado, a citação do poeta Heinrich Heine: “Onde se queimam livros, acaba-se queimando pessoas”.

Bebelplatz Berlim - Onde se queimam livros acaba-se queimando pessoas
Onde se queimam livros…

E isso é uma coisa que eu admiro muito na Alemanha: o país não esconde a sua história e faz questão de registrar, sempre de forma muito respeitosa, até os momentos mais difíceis. É como se a mensagem fosse nunca esquecer para nunca repetir.

Leia também:

A herança comunista da Hungria
Universidades que valem um passeio

15 comentários

  1. Estar nesta praça e ver esta citação com certeza foi um dos momentos mais emocionantes da minha viagem.

  2. Nossa… Que lugar incrível!!!
    Não estive nessa praça, mas quando voltar para Berlim vou querer conhecê-la! E concordo muito com você quanto a postura dos alemães sobre toda a sua história triste e pesada, eles não escondem!
    Ô cidade marcante!!!!
    Beijão!

    1. Valeu, Natália! É uma praça que poderia passar despercebida, mas que tem tanta história… Berlim é incrível mesmo, como se reinventou!
      Adorei te ver por aqui 🙂
      Beijos

Deixe uma resposta


Close