O Mercador de Veneza, Muito Barulho Por Nada, Os Dois Fidalgos de Verona… Os contos italianos foram inspiração para muitas obras de Shakespeare, mas nenhuma delas é tão famosa quando Romeu e Julieta.

Verona - Casa de Julieta em Verona

Casa de Julieta

Não existem registros que provem se a história de amor mais conhecida do mundo foi real, mas se tem um lugar onde os românticos podem acreditar que sim, esse lugar é Verona. Desde o século 16 a tragédia apaixonada dos dois jovens veroneses é contada em prosas, poemas, pinturas e palcos de todo o mundo.

Verona - Estatua de Julieta

Ritual pra dar sorte

O roteiro começa pela Casa de Julieta, a mansão onde a família Capuleto teria morado. Escondida num pátio interno que tem entrada pela Via Cappello, é a atração mais concorrida da cidade. Na verdade, a estátua no pátio é mais concorrida do que a casa em si. Os turistas fazem fila para tirar foto passando a mão no peito de Julieta. Dizem que esse ritual dá sorte no amor 🙂

Verona - Figurino de Romeu e Julieta

Figurino de Romeu e Julieta

Assim que você entra na casa, a muvuca fica para trás. Maior parte da galera não tem paciência para ver a exposição – que, entre poucos móveis e quadros de arte, mostra edições antigas do romance, figurinos e cenários usados no cinema, além de telas interativas para você ler as “Cartas para Julieta” escritas por gente do mundo inteiro e deixar a sua também ♥

Verona - Cenario de Romeu e Julieta

Cenário do filme de Zeffirelli

No 2º andar, está a sacada que faz parte do imaginário de qualquer um que já assistiu a uma montagem de Romeu e Julieta, no teatro ou no cinema. Aquela é a varanda tão miudinha onde ela esperava as visitas de Romeu às escondidas!

Antes de ir embora, a galera que gosta de rabiscar lugares turísticos pode procurar um espacinho para fazer um coração com o nome da pessoa amada no corredor que leva de volta ao portão da rua.

Verona - Varanda da Casa de Julieta

A varandinha de Julieta

O segundo endereço do itinerário shakespeariano em Verona é a casa da família Montecchio. Desta vez, a gente não pode ver por dentro. Tudo o que se encontra ao chegar na Via Arche Scaligere é uma placa ao lado de um portão medieval, indicando que ali era a casa de Romeu, e uma pedra de mármore com um trechinho da primeira cena da peça de Shakespeare (atualmente toda coberta de rabiscos…).

Verona - Cartas para Julieta

Cartas para Julieta

Na vida real, as duas casas pertenciam a outros donos, mas foram escolhidas pela província de Verona para materializar os cenários do romance. O que se sabe é que existia de fato uma família Montecchio na região de Verona no século 13, e que eles tinham mesmo fama de brigões… Só não moravam naquela casa.

Verona - Coracoes rabiscados na parede

Corações rabiscados na parede

Já a família Capuleto é um pouco mais difícil de provar, mas pode ter sido uma variação do sobrenome Cappelletti, que também existiu pra valer. Se esse é o caso, então a Casa de Julieta é até bastante realista no que diz respeito à localização, pois eles viveram exatamente naquela área da cidade.

Verona - Casa de Romeu

Casa de Romeu

Mesmo antes de protagonizarem o romance, as famílias Montecchio e Cappelletti já tinham sido citadas por Dante na Divina Comédia. Só resta saber se aconteceu uma paixão proibida… Mas como não faltam casos e pinturas no Veneto sobre disputas entre as poderosas famílias italianas, não é difícil imaginar que ao menos uma história de amor tenha acontecido entre famílias rivais.

Verona - Estatua de Shakespeare Casa de Julieta

Shakespeare na Casa de Julieta

Só quem é muito fã da história reserva tempo para visitar também a Tumba de Julieta, que fica um pouquinho mais afastada do centro de Verona, a uns 15 minutinhos das outras atrações da cidade.

O túmulo onde supostamente descansa a garota apaixonada fica no antigo monastério de San Francesco al Corso (Via del Pontiere 35).

Verona - Tumba de Julieta

Tumba de Julieta

Mesmo sem pagar o ingresso para entrar no museu é possível ver a estátua de Shakespeare no jardim, com um trechinho da fala de Romeu antes de tomar o veneno.

Para chegar no jardim lapidar propriamente dito, você tem que passar por toda a exposição do Museu de Afrescos Cavalcaselle, com pinturas religiosas medievais.

Honestamente, não entendi por que atribuem aquele túmulo à Julieta… Procurei vários sites italianos para tentar confirmar a origem da lenda, mas não vi nada conclusivo e acabei encontrando outros factoides ainda menos prováveis: que ali estariam os restos mortais dos dois amantes (não apenas de Julieta, mas também de Romeu) e que Frei Lourenço teria casado os jovens na igreja de San Francesco al Corso.

Talvez porque esse monastério fosse fora dos limites da cidade de Verona na época e, por isso, um lugar mais apropriado para eles que estavam fazendo tudo às escondidas.

Verona - Trecho de Romeu e Julieta estatua de Shakespeare

Trecho da famosa cena do veneno

Se der sorte de viajar na temporada de ópera, que costuma ir de junho a agosto, aproveite para assistir um espetáculo na Arena de Verona. Eu não tive essa chance, porque viajei num mês de maio, mas fiz questão de entrar para ver a arena por dentro.

Esse anfiteatro romano é um dos maiores do mundo e está mais bem conservado que o Coliseu de Roma. Ver um ballet a céu aberto lá deve ser inesquecível, um cenário realmente romântico.

Verona - Coracao na Arena de Verona

Coração ao lado da Arena de Verona

História e fantasia se misturam o tempo todo nas ruas de Verona. Não importa se Romeu e Julieta nunca existiram – o amor deles continua inspirando artistas, poetas e viajantes.

Share

 

18 Comentários

  1. Mas que local mais interessante! Admito que sou uma grande fã desta história, especialmente porque adoro finais não felizes por serem diferentes e não estarmos à espera.
    Visitar a casa e ir à ópera seria um sonho!

  2. Este é um dos locais onde a fantasia se mistura com a realidade! Sou fã da história de Romeu e Julieta mas não sabia dos pormenores que existem em Verona sobre a história! Fica a dúvida se Shakespeare se inspirou na realidade…

Exibir Comentários

Close