Italia - Segredos da Piazza San Marco em Veneza - Foto Martin Hapl

A Piazza San Marco é o maior cartão postal de Veneza. É aquele cenário que já parece familiar mesmo antes da viagem, de tantas fotos que você já viu. Mas quanto mais famoso é o lugar, mais divertido é descobrir segredos que quase ninguém nota.

Italia - Basilica de San Marco em Veneza

Basílica de San Marco, em Veneza

Quando finalmente for a sua vez de tirar fotos nessa praça, se permita olhar para ela como se fosse a primeira vez. Esses 7 fatos curiosos podem ser só o começo 🙂

1. A Basílica de San Marco tem o piso torto

Entrei na Basílica de San Marco para ver a igreja por dentro e… opa, tropecei! Segui um pouco mais em direção ao altar e… ui, pisei em falso de novo.

Italia - Veneza Basilica de San Marco por dentro

Basilica de San Marco por dentro: piso torto

O chão da Basílica de San Marco é completamente torto, a ponto de ter “ondas” quando você olha um corredor mais comprido. Como o arquipélago de Veneza tem solo muito úmido, alguns pedaços do piso foram cedendo ao longo dos anos. Na verdade, isso acontece na cidade inteira e é particularmente esquisito em prédios de 2 ou 3 andares, mas na Basílica dá pra notar claramente.

2. Passar entre as duas colunas dá azar

Na beira do Grand Canal, entre o Palazzo Ducale e a Biblioteca Nacional Marciana (que homenageia São Marcos, e não o planeta Marte), tem duas grandes colunas de granito trazidas de Constantinopla.

Italia - Colunas de Constantinopla na Piazza San Marco Veneza

Colunas de Constantinopla na Piazza San Marco

A primeira tem no alto uma estátua de bronze do Leão Veneziano (que tem asas!) e a segunda tem uma estátua de mármore de São Teodoro, que era o padroeiro da cidade até 828, quando as relíquias de São Marcos foram trazidas de Alexandria e este passou a ser o padroeiro. Até meados do século 18, era entre uma coluna e outra que aconteciam as execuções públicas, e por isso até hoje os venezianos mais supersticiosos não passam por ali.

3. O lugar onde Galileu estreou seu telescópio

A torre dos sinos da Basílica de São Marcos fica fora da igreja propriamente dita, do outro lado da praça. Esse é o Campanário de São Marcos que, com 98 metros, é um dos pontos mais altos de Veneza.

Italia - Campanario de Sao Marcos Veneza Galileu

Campanário de São Marcos

Além de ter uma vista sensacional de toda a cidade, é também um ótimo ponto de observação do céu – e por isso foi o lugar escolhido por Galileu Galilei para testar seu telescópio, em 1609. Na verdade, as experiências de Galileu aconteceram na torre antes dessa – porque a atual é uma reconstrução daquela que desmoronou em 1902. Se o dia estiver bonito, vale a pena subir (ainda mais porque tem elevador!). A vista do canal com a Igreja de Santa Maria della Salute no meio é linda demais.

4. Tem duas pilastras vermelhas no Palazzo Ducale

Por 11 séculos a autoridade máxima de Veneza era o Doge, e era desse palácio que os Doges governavam. A fachada gótica toda de mármore é tão linda e cheia de detalhes que quase parece uma renda.

Italia - Colunas vermelhas no Palacio do Doge Palazzo Ducale em Veneza

Pilastras vermelhas no Palazzo Ducale

Tem gente que tira 4 ou 5 fotos sem reparar que naquela fila de pilastras há duas que quebram a simetria: são de mármore vermelho de Verona em vez de mármore branco de Carrara. Elas marcam o lugar de onde eram anunciadas as sentenças de julgamentos, inclusive as tais execuções públicas que aconteciam entre as colunas de São Marco e São Teodoro.

5. A temida Ponte dos Suspiros

Sem ter referência histórica, essa famosa ponte tão bonitinha poderia se passar por um cenário romântico. Mas os tais suspiros não eram de amor.

Italia - Ponte dos Suspiros Veneza

Ponte dos Suspiros, em Veneza

A ponte foi construída para ligar o Palazzo Ducale à Prigioni Nove, primeiro edifício no mundo construído para ser uma prisão. Quem suspirava eram os criminosos que viam pelas pequenas janelinhas da ponte a luz do dia pela última vez antes de serem encarcerados. A julgar pelas outras curiosidades da praça, os Doges governavam com mão de ferro. Era bom respirar fundo mesmo.

6. Relógio medieval hi-tech

A Torre dell’Orologio, ou simplesmente a Torre do Relógio de Veneza, é uma maravilha tecnológica do século 15. Tinha vários “apps” – mostrava as horas, as fases da lua, o signo dominante no zodíaco etc. Foi construído no alto da praça para ficar protegido da Acqua Alta e poder ser visto lá do canal.

Italia - Torre do Relogio de Veneza

Torre do Relógio de Veneza: astronômico e digital

Mas tem uma coisa que o diferencia de outros relógios famosos e históricos, como o de Praga: quase 400 anos depois de sua construção, foi adaptado para se tornar também um dos primeiros relógios digitais do mundo. Ganhou um mostrador de cada lado da imagem da Virgem Maria, o da esquerda informa as horas em numerais romanos e o da direita dá os minutos em numerais arábicos (de 5 em 5 minutos).

7. De manhã, a praça é menos concorrida

A Piazza San Marco está sempre cheia de turistas, mas se você quer tirar uma foto em paz sem ter alguém entrando na frente da sua câmera o tempo todo, a dica é chegar na praça antes da Basílica abrir.

Italia - Piazza San Marco Veneza de manha

Piazza San Marco bem mais tranquila de manhã

A boa notícia é que você nem precisa madrugar, 9h da manhã já é cedo o suficiente. Leve uma bolsa pequena nesse dia, pois a Basílica não permite a entrada com mochilas. Tem uma moça que fica na porta oferecendo o serviço de guarda-volumes, mas é meio estranho deixar as coisas no chão só com ela tomando conta.

Peggy Guggenheim: arte na casa mais bonita de Veneza
De barco pelas ilhas de Veneza: as casas coloridas de Burano
Share

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

Close