Os waffles foram criados na Bélgica, no século 18, com o único e exclusivo propósito de me despertarem uma gula incontrolável a cada viagem. Com massa crocante ou macia, com recheio de frutas ou Nutella, cada país tem suas variações – e eu vou experimentando todas que encontro pelo caminho, na missão de descobrir quais são os melhores waffles do mundo!

Favo holandês

Das barraquinhas de waffle a 1 euro ao redor da Grand Place às confeitarias finas como a Maison Dandoy, o importante é não deixar de experimentar essa especialidade local quando estiver em Bruxelas.

Existem dois tipos tradicionais de waffles belgas: o Liège, normalmente oval e caramelizado, e o Brussel, de formato retangular e coberto de torrões de açúcar. Muitas vezes são servidos com coberturas de chocolate, frutas, sorvete e tudo mais ao que se tem direito. Uma delícia!

Waffle belga com frutas e chocolate

Já em Amsterdam, imperdível é experimentar um “stroopwafel”, que é um sanduíche de biscoitinhos waffer fininhos. O recheio, feito um caramelo de açúcar mascavo, derrete quando o biscoito é servido em cima de uma xícara de chá, como manda o ritual.

Você compra um saquinho com 12 stroopwafels por menos de € 1,50 no supermercado Albert Heijn (fica a dica: melhor souvenir pra trazer da Holanda!).

Mas bom mesmo é comprar um stroopwafel feito na hora, quentinho, seja nas barraquinhas do famoso Albert Cuyp Market ou ao pé do moinho holandês que fica no parque de tulipas Keukenhof.

Em Paris, é claro, os waffles também estão por todos os lados. Na Rue de Rivoli, que segue a lateral do Museu do Louvre, há diversas lojinhas com “gaufres” deliciosos, mas não é difícil encontrá-los nas carrocinhas de crepe pelas ruas da cidade. São o lanchinho perfeito para aquela pausa entre um museu e outro, além de uma ótima companhia para sentar num jardim parisiense e ver o movimento.

Waffle com Nutella

Quando fiz intercâmbio no Canadá, minha anfitriã Mary insistiu para que eu experimentasse a massa como se come lá: acompanhada de uma espécie de mel feito de bordo (aquela planta estampada na bandeira canadense). “Waffles with maple syrup”, na parte inglesa, ou “gaufre au sirop d’érable”, na parte francesa do país, são ótimas opções para um café da manhã canadense!

Waffle com maple syrup - foto Meredith Laurence

A loja de doces Manner, em Viena, me conquistou com os biscoitos waffer quadradinhos e bem recheados com creme de avelã. Esse é mais do tipo “Mirabel”, mas entra na minha lista porque é o waffer mais gostoso que lembro de já ter comido!

Também fiquei sabendo de uma versão engraçada inventada em Hong Kong, o “eggwaffle”. Feito numa chapa com bolinhas, também ficou conhecido como “bubble waffle” ou “eggette”. Ainda não provei, mas imagino que seja um pouco mais massudo (cada bolinha é cheia de massa).

Eggette (via)

Eggette (via)

Hoje em dia os waffles já estão globalizados: os americanos incorporaram a massa ao seu café da manhã, os sul coreanos comem como lanchinho rápido à tarde pelas ruas… E eu experimento o doce em cada lugar que encontro! Quem consegue resistir?

Leia também:

Cafés tradicionais e tortas deliciosas
Em Sintra, palácios e doces
Share

10 Comentários

  1. Adorei! Em Paris, gaufre e crepe comprados em qualquer barraquinha de rua são um manjar dos deuses. Eu sempre parava numa dessas barraquinhas que você indica (sempre com ela, a Nutella) e levava para comer no Jardin de Tuileries. Mas se quiserem algo 5 estrelinhas, recomendo o Amorino, que na essência é uma rede de gelatos italianos. Chegando lá é difícil escolher a “categoria”. Nanda, posso sugerir um post sobre sorvetes? 🙂 Ansiosa para saber sua lista!

  2. Adoro!!! Em Paris eu comia gaufres sempre!!! E também comi um waffle maravilhoso com Nutella e banana na entrada da Portobello Road, em Londres! Hmmm…

Exibir Comentários

Deixe uma resposta

Close