O metrô de Moscou e as estações que parecem palácios

Vocês sabem que eu adoro observar estações de metrô interessantes pelo mundo, né? Essa era uma das minhas maiores expectativas na viagem a Moscou! As estações do metrô de Moscou são chamadas de “palácios do povo” e você rapidamente entende por quê. Muito além de um transporte para chegar nos pontos turísticos da cidade, elas se tornaram uma das atrações mais instigantes da cidade.

Nanda na estação Komsomolskaya
A impressionante estação Komsomolskaya

Andar de metrô em Moscou significa passear pela história do país – política, literatura, relações internacionais, conquistas militares… está tudo representado ali. Há estações decoradas para homenagear grandes personalidades russas, como os escritores Dostoiévski e Pushkin, outras ilustram heróis nacionais como o cosmonauta Yuri Gagarin.

E há ainda aquelas que fazem referência a países historicamente conectados à Rússia, como a Ucrânia ou a Bielorrússia.

História do metrô de Moscou

A rede de metrô de Moscou foi inaugurada na Era Stalinista, em 1935, com 13 estações. Hoje em dia tem mais de 230 estações distribuídas por 14 longas linhas e é uma das maiores malhas de metrô do mundo, transportando mais de 9 milhões de pessoas por dia (!!!).

Metro de Moscou - Kievskaya medalhoes de afrescos retratam a amizade entre a Ucrania e a Russia
Kievskaya: momentos da história com a Ucrânia

A construção do metrô de Moscou foi um dos mais ambiciosos projetos da União Soviética. Arquitetos, engenheiros e artistas trabalharam para criar estruturas que projetassem os ideais do estado. Eles também chamaram engenheiros ingleses para dar consultoria, apesar da paranoia de espionagem.

As obras foram relativamente rápidas, assim como as expansões nos anos seguintes. A industrialização era uma prioridade do governo, tanto para o desenvolvimento de infraestrutura quanto para a imagem internacional, e isso facilitou o avanço das obras.

O metrô de Moscou era um ponto central para o desenvolvimento do país, além de ser uma representação da estética, da tecnologia e da ideologia da URSS.

Encontre tours guiados pelos metrôs de Moscou e São Petersburgo
Arbatskaya e a arquitetura que ficou conhecida como Barroco Stalinista
Arbatskaya e a arquitetura do Barroco Stalinista

Back in the USSR

No final dos anos 1950, o governo Khrushchev passou a ser mais econômico na construção de novas estações, usando acabamentos mais simples e padronizados. No entanto, as suntuosas estações stalinistas se mantêm exatamente como eram durante o período da URSS.

A arquitetura é realmente impressionante! Os “palácios do povo” têm muito mármore, tetos ornamentos e grandes lustres. Observando os detalhes, encontramos símbolos soviéticos, como as estrelas vermelhas, além de estátuas de heróis militares.

Toda essa beleza é extremamente bem conservada e as estações surpreendentemente limpas – nada da sujeira que se vê nos metrôs de Paris ou Buenos Aires, por exemplo. Sem contar que o sistema de metrô de Moscou é super eficiente.

Metro de Moscou - Detalhe sovietico na estacao de Moscou
Decoração soviética nas estações

Principais estações do metrô de Moscou

As estações do metrô de Moscou são mundialmente famosas e muitos viajantes se dedicam a fazer um tour pelas estações históricas, em vez de conhecê-las casualmente ao longo da estadia na cidade.

Algumas estações imperdíveis para você incluir no roteiro são: Komsomolskaya (Комсомольская), Arbatskaya (Арбатская), Ploshchad Revolyutsii (Площадь Революции), Novoslobodskaya (Новослободская), Kievskaya (Киевская) e Novokouznetskaya (Новокузнецкая).

Há inclusive opções de passeios guiados pelo metrô de Moscou, o que é ótimo para ter um guia local explicando os símbolos, referências históricas e curiosidades culturais de cada estação.

A cidade de São Petersburgo também tem algumas estações-palácio, porém a malha não é tão abrangente quanto a de Moscou, então muitos viajantes passam mais tempo à pé e circulam menos de metrô.

Metro de Moscou - Taganskaya com herois retratados em porcelana azul e branca
Estação Taganskaya com porcelana azul e branca

Como andar de metrô em Moscou

O metrô de Moscou funciona de 6h da manhã até 1h da madrugada. Tem internet wifi em várias linhas, o que facilita o uso de mapas online etc.

A rede é bem ampla, cobre todos os pontos de interesse da cidade e, grande parte das vezes, o intervalo entre um trem e outro é muito rápido. Nas linhas do centro, às vezes a gente deixava o metrô passar só para se maravilhar com a chegada do carro seguinte em meros 30 segundos. Hahaha

A conveniência se torna ainda maior quando a gente lembra que Moscou é mundialmente conhecida por seus engarrafamentos quilométricos.

Metro de Moscou - Simbolos sovieticos no metro de Moscou
Símbolos soviéticos no metrô

Troika Card: cartão de transporte

Há diferentes tipos de bilhetes e tarifas mas o mais prático para um viajante é simplesmente usar o Troika Card pré-pago. O cartão custa 50 rublos (você pode reaver este valor ao devolver o cartão em uma estação) e cada passageiro deve ter seu próprio Troika Card.

Você carrega o cartão com qualquer quantia e, ao embarcar no metrô ou ônibus, o valor da passagem é debitado automaticamente do seu crédito. A vantagem é que cada passagem fica mais barata que o preço unitário (são cobrados 40 rublos, em vez de 57).

Numa estadia de 4 dias e meio, usamos 16 passagens de metrô cada um, incluindo as de ida e volta para a estação de trem.

Estátuas de bronze na Ploshad Revolutsii
Estátuas de bronze na Ploshad Revolutsii

Placas em russo nas estações

Antes de embarcar, vale a pena consultar o mapa para planejar o itinerário e ver onde você vai precisar trocar de linha. É muito útil ter um mapa do metrô que mostre os nomes das estações escritos nos dois alfabetos, em cirílico e com a transcrição ocidental também.

Nesse momento, é uma boa ideia memorizar o número das linhas e a grafia do nome das estações do seu trajeto, para não ter que consultar o mapa novamente no meio da muvuca. Em alguns horários o metrô de Moscou fica realmente lotado (aliás, sempre bom ficar atento para evitar furtos de bolsas e mochilas).

Mesmo que você não saiba ler em russo, decore os desenhos ou compare com alguma palavra em português (por exemplo: марЬина = mapinha, ou qualquer coisa assim). Isso já é o suficiente para você seguir as placas para pegar o trem na direção certa ou trocar de linha, se precisar.

Metro de Moscou - Placa do metro em russo
Placas em russo nas estações

Outra providência essencial é aprender a reconhecer algumas palavras mais comuns nas placas – especialmente a palavra “saída” (BbIXO), pois as estações são gigantescas e mais parecem um labirinto.

Algumas estações de conexão entre linhas são tão grandes que chegam a ter mais de um nome. É o caso da Kurskaya, que é identificada assim na linha azul e na marrom, mas na linha verde se chama Chkalovskaya.

Dicas para circular por Moscou

Não custa lembrar que Moscou é uma cidade bem grande. Às vezes a gente olha o mapa e vê que tal lugar está apenas a 2 estações de distância, mas quase sempre o bilhete vale a pena.

Embora seja interessante dar uma boa caminhada pelo centro (nos arredores da Praça Vermelha) para ver a arquitetura, andar pela cidade pode ser bem cansativo, particularmente por causa das escadas.

Metro de Moscou - entrada da estacao Chkalovskaya
Entrada da estação Chkalovskaya

Há escadas para todo lado: seja para pegar o metrô, entrar em lojas ou simplesmente para atravessar a rua. Em Moscou, os sinais de trânsito são basicamente para controlar os cruzamentos dos carros, raramente se destinam a facilitar a travessia de pedestres.

O pior é que quase nada tem adaptação para deficientes físicos e, quando tem, parece não seguir um padrão específico.

Às vezes as escadas “escondem” coisas que a gente nem imagina – como o mercado que ficava perto do nosso hostel, que por fora era só uma portinha que dava para uma escada (nem parecia que a gente devia entrar ali) e por dentro tinha mil corredores e vendia de tudo.

Escada longa no metrô, pelo menos era rolante!
Escada longa no metrô, pelo menos era rolante!

Trem na chegada do aeroporto

Vou só aproveitar para dizer que o trem é a melhor maneira de acessar a cidade, inclusive para quem chega de avião. Moscou tem 3 aeroportos, mas todos eles são servidos pelo trem Aeroexpress (você compra o bilhete na hora).

Uma vez no centro, você pode pegar metrô ou pedir um Uber se tiver wifi ou chip local. Há um ticket de metrô específico para quem está levando malas grandes (malas médias estão ok), então fique de olho ao comprar seu bilhete.

Nós desembarcamos no aeroporto Domodedovo e levamos mais ou menos 45 minutos para chegar ao centro usando o Aeroexpress, e então seguimos de metrô até o bairro do nosso hostel. A parte ruim é ter que pegar o metrô cheio com as malas, mas dá pra fazer.

Metro de Moscou - estacao Prospekt Mira era um dos palacios do povo
Estação Prospekt Mira: um dos palacios do povo

Quando seguimos viagem para São Petersburgo, pegamos o trem em Moscou na estação Leningradski, que também tem um metrô pertinho.

Com o Sapsan, que é um trem de alta velocidade, levamos apenas 4 horas no trajeto de Moscou a São Petersburgo, mas há quem prefira pegar o trem noturno que leva umas 8 horas mas é bem mais barato.

Há diversos sites oferecendo passagens de trem na Rússia e alguns parecem ter nome oficial, mas o “site oficial de verdade” da Russian Railways é o pass.rzd.ru (tem interface em inglês). Aqui você encontra um tutorial muito útil (também em inglês) para comprar sua passagem de trem ;)

Leia também:

Um Arcade Soviético, para você jogar fliperama russo!
12 dicas práticas para se virar na Rússia
O que fazer em Moscou: as melhores atrações turísticas!
Visto, câmbio e seguro de viagem para a Rússia: o que saber