Roteiro Escócia: lagos, castelos e whisky

O país é pequeno – cem vezes menor do que o Brasil e com uma população que não chega à da região metropolitana do Rio de Janeiro – mas não se engane: a Escócia apresenta tantas atrações para seus visitantes que uma só viagem não dá nem para o começo.

roteiro-pela-escocia-castelo-urquhart
Castelo Urquhart

São mais de 700 ilhas, centenas de castelos, cidades medievais, montanhas que não acabam mais, rios, mares, lagos (muitos lagos!) e parques que deixam entusiasmados os atletas da natureza que vêm de todos os cantos do mundo para praticar ciclismo, arvorismo, trilhas, bicicross, sky running e Deus sabe lá que outros esportes que nem fazem parte do meu repertório. E a rota do whisky, claro – sempre tem o whisky.

roteiro-escocia-estrada-na-escocia
Estrada para as Highlands

Traçar um roteiro foi difícil, pois a cada vez que eu olhava o mapa descobria mais alguma coisa para visitar. Quem gosta de andar sem destino, pode cair na estrada: em qualquer cidadezinha que você chegar por acaso, e mesmo no caminho entre elas, haverá natureza, história e um registro cuidadoso e atraente de toda essa cultura.

O país uma excelente estrutura de turismo e, em todo lugar tem um passeio de barco, um trem ou um teleférico, para garantir o encantamento.

escocia-stonehaven
Stonehaven

Mesmo na alta temporada do verão europeu, em julho, não existe engarrafamento e dá sempre pra arrumar um bed & breakfast para se hospedar – nem que seja o Bosta, perto de Inverness, que, apesar do nome, tem até TV e máquina de chá 😀

O ideal é alugar um carro na Escócia. Apesar do inconveniente de dirigir “do lado errado”, o carro pode lhe dar a mobilidade que os trens e ônibus não dão. Assim, você não fica preso aos horários e as milhas que separam você do outro ponto de interesse são ultrapassadas sempre em menos meia hora.

É claro que a gente estranha a mão inglesa, mas a gente se acostuma depois que passa a tensão inicial. No começo, se não prestar atenção, a gente acaba subindo num meio fio ou procurando a marcha na porta do carro. Talvez a adaptação fosse mais fácil se eu tivesse alugado um carro com câmbio automático.

Como foi o nosso roteiro

A ideia de viajar pela Escócia surgiu quando minha irmã se mudou para lá. O Claudio, marido dela, está desenvolvendo uma pesquisa no campo da biocomputação na Universidade de Dundee. A saudade de estar com eles e com meus sobrinhos foi o que me levou a descobrir as belezas do norte do Reino Unido.

roteiro-escocia-lago-ness-inverness
Lago Ness, Inverness

São três as maiores cidades da Escócia: Glasgow, Aberdeen e a capital Edimburgo (que eles pronunciam “Edimbrá”). Dessas, conheci pouco nessa primeira visita. Aproveitamos o verão para explorar a região do Lago Ness e a Ilha de Skye num roteiro de 3 dias pelas Highlands.

Também fizemos alguns passeios de um dia a partir de Dundee, para conhecer a charmosa cidade de St. Andrews e os belos lagos e castelos de Loch Lomond e Loch Katrina. Esses são dois lagos enormes e próximos um do outro, ao norte de Glasgow. Nas cidadezinhas que ficam à beira d’água, chamadas Luss e Baloch, há vários barcos, pedalinhos e cantos com vistas deslumbrantes.

roteiro-escocia-loch-katrina
Loch Katrina

Nós ainda fomos surpreendidos com uma grande festa de jogos de verão. Divertidos, muito diferente dos jogos que estamos acostumados por aqui e muito concorridos – as cidades estavam cheias de gente.

A viagem até lá dá menos de duas horas, se você for direto de Edimburgo, e a estrada é boa. Você pode se programar para almoçar por lá, e, se sair cedo, ainda poderá visitar Doune e Stirling. É comum ver famílias ou pequenos grupos acampados à beira dos lagos – uns preferem traillers, outros usam barracas de camping mesmo.

roteiro-escocia-castelo-de-stirling
Castelo de Stirling

St. Andrews, com suas ruínas de castelo e catedral, também é muito bacana. A cidade foi palco dos grandes confrontos religiosos da Escócia e é o lugar onde foi inventado jogo de golfe (os clubes de lá são famosos).

Foi lá também que o príncipe William e a Kate se conheceram, quando estudavam na renomada faculdade de St. Andrews.  Recomendo muito o passeio, é bem interessante e a viagem de Edimburgo até lá leva menos de uma hora.

roteiro-escocia-ruinas-em-st-andrews
Castelo de St Andrews

As tais destilarias escocesas

Não fiz a rota completa de destilarias do nordeste escocês (chamada Malt Whisky Trail) mas, no país do uísque, claro que eu não poderia deixar de incluir algumas no meu roteiro. Eu visitei a destilaria que é a bestseller da Escócia – The Famous Grouse, perto de Doune – e na menor destilaria do país – a Edradour, que vende o charme de ser exclusiva. O whisky Edradour não pode ser comprado em nenhum outro lugar, só lá em Piltchory.

Outra muito tradicional é a Royal Lochnagar, que faz um dos whiskies mais valiosos (caros) do mundo. É a destilaria fornecedora oficial da Família Real Britânica, e fica bem pertinho do Palácio de Balmoral.

roteiro-escocia-destilaria-royal-lochnagar
Destilaria Royal Lochnagar

Pra quem não entende e nem curte muito uísque, o processo de produção de todas elas pareceu bem similar. Cheiros e sabores me fizeram acreditar que eu poderia visitar 2 ou 10 destilarias e veria basicamente a mesma coisa (os entendidos no assunto que me critiquem e corrijam). Agora, se você é aficionado pela bebida, vale conhecer a Malt Whisky Trail se dedicar mais à degustação dos uísques mais famosos do mundo.

Se você quiser saber mais sobre o Lago Ness e Isle de Skye, dá uma olhada nesse outro post aqui no blog!

29 comentários

  1. Oi, Nanda e Carla

    Eu tbm sou suspeita em falar qualquer coisa de Edimburgo e da Escócia. Morar lá por quase 2 anos foi a melhor escolha que fiz até hoje. O pessoal é muito simpático e o país é belissimo e muito organizado. Mesmo tendo morado lá todo esse tempo, ano passado voltei por mais uns dias e ano que vem vou de novo! Não vejo a hora, pois dessa vez vou explorar uns lugares diferentes!
    Adorei as fotos… O tempo estava realmente excelente! =D

  2. Estamos planejando ir a Edimburgo no ano que vem, ficar uns 8 dias e depois uns 3 dias em Londres. O que voce sugere como roteiro. Grato.

  3. Oi, Hugo! tudo bem?
    Você pode usar Edimburgo como ponto de partida para explorar outras cidades escocesas – a escolha depende do gosto de vocês: ilhas, castelos, passeios para família etc. Algumas ideias são Glasgow, Stirling, Alnwick (http://wp.me/p4eMct-gs) e Inverness. Fica de olho aqui no blog porque ainda vão entrar mais algumas boas dicas da Escócia!
    Quanto a Londres, dá uma olhadinha nesse post aqui: http://wp.me/p4eMct-16u
    Abs e boa viagem!

    1. Oi Nanda, você teria dicas de hospedagem, tipo hostel, pousadas e hoteis simplesem Edimburgo e emLondres ? Grato.

  4. Oi, Hugo! Em Edimburgo o melhor é ficar perto do centro histórico e da Royal Mile. Dá uma olhada no St. Christopher’s (http://bit.ly/1ruayam), que é uma rede de hostels que tem em Londres também.

    Recentemente também abriu em Londres o hostel Generator (http://bit.ly/1qtqrhI) – fiquei num albergue dessa mesma rede em Berlim e adorei! Super moderninho e organizado.

    Vale lembrar que se vc fizer a reserva a partir desses links ou usando a caixinha de busca de hotéis que fica aqui embaixo, o nosso blog ganha uma comissãozinha do Booking.com (sem que vc tenha que pagar nem 1 centavo a mais por isso) 😀

    Não é muita coisa, mas nos ajuda a manter o blog! 🙂
    Abs e boa viagem!

  5. Oi!!! Parabéns pela qualidade de seus comentários

    Estou pensando em fazer uma imersão em inglês com meus dois filhos por duas semanas em janeiro-2015 e depois passear mais. O que vc acha? erá que o frio atrapalha bons passeios?

    1. Obrigada pela visita ao blog, que bom que você gosta do Vontade de Viajar : )

      A primeira vez que fui a Londres foi num mês de janeiro. Apesar do frio, consegui aproveitar muito e curti demais a viagem! Os preços de baixa temporada são uma vantagem, mas mantenha alguma flexibilidade para as viagens porque às vezes os vôos podem ser cancelados por causa da neve.

      Na Escócia pode fazer ainda mais frio, mas basta ter bons casacos (pode comprar lá) e planejar alguns programas que não sejam ao ar livre (no Reino Unido não faltam bons museus!)

      Em 2006, eu fiz intercâmbio no Canadá no auge do inverno (chegou a 30 graus negativos em Montreal!!!) e a neve acabou virando parte da experiência.

      Abs e boa viagem!

  6. Olá boa noite!
    Estou pensando em passar uns 20 dias em Edimburgo para fazer um curso de Inglês, mas só posso ir no final de Dezembro ou Janeiro e estou preocupada com o tempo, dizem que é muito frio e museus e castelos podem estar fechados. Pode me dar algumas dicas, realmente essa época não é bom. Um abraço, Ana

    1. Oi, Ana! Em janeiro, mesmo sendo o auge do inverno, a Escócia fica com média de 0 a 5 graus, que não é uma temperatura tão baixa assim (não faz -20 como na Rússia ou no Canadá e não costuma ter muita neve)… O problema mesmo é o vento super frio e o céu completamente coberto de nuvens (mesmo no verão o vento é gelado lá). Para quem está indo viajar, o que mais atrapalha são os dias curtos (anoitece 5pm e as atrações fecham cedo)… Se o seu curso já tem programação planejada e você não pretende fazer passeios ao ar livre, capricha na jaqueta corta-vento impermeável e vai nessa! Senão, o jeito é optar por um destino menos frio nessa época, como a Califórnia 😉

  7. Ola, estou vendo roteiros e meu maior interesse sao as destilarias…. Uma pergunta, esse roteiro feito acima, foi de carro ? e quantos dias durou…. Obrigado….

    1. Oi, Gerson! Essa viagem foi de carro e durou 3 dias (fora os dias que passamos na casa da família em Dundee). Visitamos as destilarias em dias diferentes, de acordo com as cidades pelas quais passamos, não fizemos um roteiro específico de uma para a outra. Há destilarias por todas as regiões da Escócia – se for alugar um carro, é importante designar “o motorista da rodada”.

      Existem tours para destilarias saindo de Edimburgo ou outras cidades, que podem ser uma opção. Em regiões que têm grande concentração de destilarias, como Speyside, há serviços de motoristas que levam a 3 ou 4 destilarias em um mesmo dia (um amigo nosso fez isso, pegou a indicação do motorista na própria pousada em que ele ficou em Dufftown).
      Abs e boa viagem!

  8. Boa tarde,

    Estamos indo a primeira vez em Edimburgo e estamos perdidos nas escolhas das excursões. Queremos conhecer a parte sul, Highlands e também queremos ir para o norte conhecer Northumberland, mas sinceramente não estamos muito animado de ir por excursão, pois sabemos que boa parte do trajeto é feito sem paradas e também é demorado devido a quantidade de pessoas.

    Estamos com pensamento de alugar o carro, gostaria de saber se pra quem nunca dirigiu é muito complicado mesmo a mão inglesa, tem mais algum risco que envolve em não saber dirigir do lado contrario ou o mais indicado mesmo é conhecer esses lugares com as excursões por ser mais seguro.

    1. Oi, Emmanuelle! Excursões têm essas vantagens e desvantagens mesmo… Dirigir na mão inglesa exige adaptação para se acostumar com o lado da preferência dos cruzamentos, com a troca de marcha, com as faixas da pista etc. Mas a boa notícia é que o trânsito nas estradas da Escócia não é muito intenso. Se você gosta de dirigir, pode ser bem legal fazer a viagem no seu ritmo e ter mais autonomia 🙂

      Algumas dicas que podem ajudar é alugar um carro com câmbio automático e GPS, fazer um seguro de viagem que inclua acidentes de trânsito e assessoria jurídica, e assistir vídeos no Youtube de gente dirigindo na mão inglesa, para começar a se habituar a ver a estrada do outro lado.

      Se quiser dar uma força para a gente manter o blog, usa o link daqui ao fazer a reserva do carro e contratar o seguro . A gente ganha uma pequena comissão pela indicação de um leitor, sem que você tenha que pagar nem 1 centavo a mais por isso 🙂
      Abs e boa viagem! Espero que você goste do Reino Unido como a gente gostou!

Deixe uma resposta