Circuito de trem pela Holanda

Contribuição de Vitor e Marcela, que estão morando na Áustria e fizeram um super roteiro pela Holanda no Réveillon.

Nos mudamos para a Áustria em dezembro, graças a uma oportunidade que surgiu no programa de doutorado da Marcela. Morando na Europa, é claro que queríamos aproveitar a chance para conhecer outros países e a Holanda estava no topo da lista.

A passagem mais barata que encontramos de Viena para a Holanda foi pela Transavia, com destino a Rotterdam. De lá, pegamos um trem para Amsterdam por 15 euros (tem trem a noite toda).

Patos e cisnes num canal em Amsterdam
Patos e cisnes num canal em Amsterdam

O país tem uma rede de albergues chamada Stay Okay, que nós descobrimos pelo Hostels.com. Ficamos em albergues dessa rede nas cidades de Utrecht-Bunnik e Rotterdam, mas em Amsterdam ficamos no Amigo Hostel (cerca de € 15 por pessoa, em quarto quádruplo), que era tranquilo mas nada demais.

Passamos dois dias na cidade, andamos bastante pelos parques e pelas ruas. Não entramos em museus porque as filas eram enormes, preferimos admirar a arquitetura e os canais cheios de patos e cisnes. Depois partimos para Utrech (uns € 12 o trecho de trem), ou melhor, para um Stay Okay que fica no meio do caminho entre essa cidade e Bunnik, um lugar realmente bucólico. Conhecemos Bunnik de bicicleta, que alugamos por 9 euros a diária, e demos uma volta nos arredores.

Marcela de bicicleta pela Holanda
Marcela de bicicleta pela Holanda

Na volta, deixamos as malas na estação central de trem de Utrecht (em um espaçoso armário com fecho eletrônico que custa €10/24h e pode ser pago com cartão) e passeamos pela cidade, também super charmosa.

Os preços aumentam astronomicamente em feriados e por isso optamos por ficar em Haarlem durante os dias que antecederam o ano Novo. Foi a melhor escolha, pois a cidade é uma graça e fica a apenas 15 minutos de Amsterdam (mais ou menos € 6 a passagem de ida e volta de trem). Lá escolhemos a pousada Where Els que custou € 140 a diária num quarto para três pessoas (acredite, um ótimo preço para o período). O café da manhã foi servido no quarto e foi realmente um banquete, além de termos CD, TV e outras regalias. Valeu muito a pena. De lá partimos para Rotterdam (outros € 12 euros o trecho).

Cube houses em Rotterdam abrigam o albergue
Cube houses em Rotterdam abrigam o albergue

Em Rotterdam, o Stay Okay é dentro das famosas “casas cubo”, um dos pontos turísticos da cidade. Cada quarto é de um jeito, muito interessante. O hostel não oferece toalhas incluídas no preço, mas você pode alugar por algo entre 1 e 3 euros. A cidade é maior que as demais que visitamos e tem uma arquitetura bem diferenciada.

De lá fizemos um passeio para Kinderdijk,  vilarejo que possui os moinhos considerados patrimônio cultural da humanidade pela Unesco. É imperdível, um cenário lindo. A dica é pegar um translado de barco até Kinderdijk (€ 11 euros, ida e volta) e depois alugar uma bicicleta para conhecer o local. Também dá para alugar a bike em Rotterdam e levá-la junto no barco.

Os moinhos que são patrimônio de Kinderdijk
Os moinhos que são patrimônio de Kinderdijk

Algumas cidades ficavam no caminho do trem, como Delft e Leiden. Talvez com menos peso na mochila tivéssemos parado por lá… Todas as cidades que visitamos eram muito charmosas e viajar pela Holanda foi um ótimo jeito de começar 2013!

Leia também:
>> Dicas para você se virar na Holanda
>> Santpoort Noord: um passeio romântico a partir de Amsterdam

6 comentários

  1. Queridos amigos, gostei muito das fotos e do texto! Estou muito feliz que estejam curtindo esta viagem com tanta alegria e entusiasmo. Continuem em contato com fotos e textos, quem sabe não animamos de dar um pulo por aí no segundo semestre?
    Abraços!

  2. Quanta gente vai à Holanda e fica só em Amsterdam! Se eu tiver oportunidade, vou tentar ir ao menos a Rotterdam também.

Deixe uma resposta