Tenement Museum: Nova York pela história dos imigrantes

Visitar o Tenement Museum é uma experiência como poucas. Totalmente diferente das outras atrações turísticas em Nova York, esse museu nos dá a chance de conhecer a história dos Estados Unidos de um jeito muito original.

A proposta do Tenement Museum é compartilhar uma perspectiva histórica da vida dos imigrantes em Nova York, através da reconstrução de apartamentos e lojas de um bairro que recebeu diversas levas de residentes estrangeiros ao longo dos séculos.

Tenement Museum - Museu no Lower East Side
Tenement Museum no Lower East Side

Não é um museu tradicional, nem é um museu interativo… É uma experiência completamente imersiva, em que a história é contada onde ela de fato aconteceu! Cada imóvel foi restaurado para retratar a vida de uma família de origem diferente, e cada uma dessas famílias representa um momento histórico da cidade.

Foi um dos meus passeios preferidos na viagem, e com certeza é uma dica que deve entrar no topo da lista para quem curte arquitetura, história mundial e uma boa prosa contada com emoção! Afinal, se a cidade não fosse tão culturalmente diversa, não seria essa Nova York tão fascinante que a gente ama.

Tenement Museum - Cozinha da familia Levine - Foto Battman Studios
Cozinha da família polonesa Levine – Foto: Battman Studios

Prédios típicos do Lower East Side

O Tenement Museum funciona atualmente em dois prédios no Lower East Side, nos números 97 e 103 da Orchard Street. Ambos são prédios típicos de 100 anos atrás (tenement significa cortiço em inglês), e neles moraram estrangeiros de mais de 20 países.

O Lower East Side já foi um bairro irlandês, alemão, italiano, judeu, chinês, porto-riquenho. Já foi Loisaida e Chinatown. Cada leva de imigrantes foi transformando a atmosfera e a cultura local.

Tenement Museum - Otica Moscot Lower East Side decada de 70
Ótica Moscot no Lower East Side na década de 70 – Foto: acervo Tenement Museum

Eu visitei o prédio do número 97, que foi o primeiro do museu. Construído por um imigrante prussiano em 1863, passou por várias modificações ao longo do tempo para se adaptar às leis habitacionais e incluir infraestrutura de encanamento e eletricidade (que eram luxos para os prédios da região naquela época!).

Até que, em 1935, as novas regulamentações criadas pelo prefeito LaGuardia exigiriam reformas estruturais tão profundas que o prédio acabou sendo desocupado, como vários outros do bairro. Apenas as lojas e espaços comerciais continuaram em funcionamento — os apartamentos residenciais ficaram fechados.

Tenement Museum - Cozinha da familia Baldizzi - Foto Keiko Niwa
Cozinha da familia italiana Baldizzi – Foto: Keiko Niwa

Uma cápsula do tempo em Nova York

Mais de 50 anos depois, a sociedade que hoje administra o museu assumiu o edifício e encontrou ali uma espécie de cápsula do tempo. Os apartamentos tinham ficado abandonados por todos esses anos, e ainda refletiam as condições de moradia na virada do século 20.

Foi um trabalho incrível de pesquisa que mobilizou historiadores e arquitetos para recriar alguns apartamentos a partir de documentos e fotos da época, até que a primeira exposição abriu ao público em 1992.

Tenement Museum - Predio historico 97 Orchard St
Entrada pelo pátio do prédio 97 Orchard St

Em 2007, o segundo prédio passou a fazer parte do projeto e agora já são 7 apartamentos que podem ser visitados: de imigrantes poloneses, italianos, alemães, irlandeses, russos, chineses e porto-riquenhos.

A vida dos imigrantes e os negócios familiares

Por dentro dos prédios do Lower East Side, a gente vê como era a vida dos imigrantes, como viviam as famílias em apartamentos pequenos, como eles incorporavam elementos das culturas de origem em suas novas rotinas e como eram seus trabalhos — as oportunidades que eles conseguiam e os negócios que eles empreendiam.

Onde comer no Lower East Side depois do Tenement Museum
Tenement Museum - Bar do casal alemao Schneider cozinha - Foto Keiko Niwa horiz
Cozinha da cantina alemã – Foto: Keiko Niwa

Além dos apartamentos, duas lojas de época foram recriadas como parte do museu: uma cantina alemã que funcionava no local entre 1864 e 1886, e um estabelecimento onde havia um açougue kosher em 1900, uma casa de leilão da década de 30 e uma loja de lingerie dos anos 70.

As histórias pessoais dos residentes e comerciantes revelam muito sobre os contextos históricos e nos fazem pensar sobre o que significa ser cidadão de um país. Porque era isso o que as diferentes famílias tinham em comum: o desafio de reconstruir a vida em um lugar diferente depois de um momento de crise, a adaptação e uma nova cultura e a busca por identidade e reconhecimento.

Tenement Museum - Bar do casal alemao Schneider salao - Foto Keiko Niwa
Cantina do casal de alemães John e Caroline Schneider – Foto: Keiko Niwa

Como visitar o Tenement Museum

O Tenement Museum não é um museu com um acervo inerte, é um museu de storytelling, por isso as visitas são sempre guiadas. Recomendo comprar ingressos antecipados pelo site, pois os tours são feitos em grupos pequenos e as vagas são limitadas.

Todos os roteiros contam um pouco sobre a história de Nova York, as mudanças das leis de imigração nos EUA e discutem os desafios de quem tentava “fazer a América”. Mas cada exposição foca uma nacionalidade e um período diferente da história, então o legal é escolher um que desperte seu interesse, ou que tenha a ver com a origem da sua família.

Tenement Museum - Visita guiada no museu
Visita guiada no museu: prédio 97 Orchard St

As atividades duram entre 1 e 2 horas e são somente em inglês — entender o idioma é importante para aproveitar ao máximo a visita, pois as histórias contadas são grande parte da experiência, e o jeito como os guias narram os acontecimentos é cativante!

O centro de visitantes (e a lojinha bacana!)

O ponto de partida é sempre o centro de visitantes, onde tem um pequeno vídeo de introdução, os grupos se reunem e são apresentados aos guias. Vale a pena chegar pelo menos uns 20 minutinhos antes do horário do tour, para retirar os ingressos e garimpar a loja do museu!

Tenement Museum - Postais na loja do museu
Postais na loja do Tenement Museum

Tem muita coisa interessante por lá: postais preto-e-branco, livros de fotografia e de arquitetura, cadernos de receitas judaicas, guias de viagem criativos e muitos objetos de design em referência às diferentes culturas que se encontraram no bairro!

Se você quiser apenas dar um pulo na loja ou tentar a sorte com um ingresso de última hora, o horário de funcionamento do centro de visitantes é das 10h às 18h30. As estações de metrô mais próximas do Tenement Museum são Grand Street (linhas B e D), Delancey Street (linha F) e Essex Street (linhas J, M e Z).

Tenement Museum - Fachada do museu dos imigrantes
Fachada do museu e a antiga ótica Moscot

Excursões pelo Lower East Side

Outra iniciativa muito interessante do museu são os walking tours pelo bairro. Assim como o Museu Hebraico de Veneza faz uma excursão pelos guetos judaicos e as sinagogas da cidade (recomendo!), o Tenement Museum faz um passeio pelas ruas do Lower East Side para descobrir mais sobre o cotidiano desse bairro tão culturalmente diverso!

O Lower East Side era simplesmente o local com a maior densidade populacional de todos os Estados Unidos em 1900. Isso certamente teve um efeito significativo no desenvolvimento de Nova York e na cultura da cidade.

Veja dicas de restaurantes judaicos no Lower East Side
Tenement Museum - Comidas do Lower East Side
Comidas do Lower East Side – Foto: Tenement Museum

Além de excursões que apresentam locais e personagens históricos, tem uma com foco na arquitetura do bairro e outra com foco nas comidas típicas do Lower East Side (essa só acontece 1 ou 2 vezes por semana e tem que reservar com muita antecedência pois é sempre a primeira a esgotar!)

Cada exposição é uma história diferente

Cada visita ao Tenement Museum é uma experiência única. Atualmente são 9 exposições diferentes pelos prédios e 4 tipos de excursões pelo bairro – chega a ser difícil escolher qual passeio fazer!

Tenement Museum - Casa da familia Levine - Foto Battman Studios
Mesa de costura da familia Levine – Foto: Battman Studios

Enquanto o tour Shop Life visita os estabelecimentos comerciais restaurados no prédio 97 e fala sobre os comerciantes e empreendedores, o tour Sweatshop Workers fala sobre a vida de mulheres que trabalhavam em confecção de roupas e sua luta por condições melhores.

Hard Times mostra as casas de duas famílias que viviam no prédio 97, uma de judeus alemães e outra de católicos itaianos, e como eles viveram períodos de crise como a Grande Depressão de 1930.

Tenement Museum - Filhas de alemaes Bella Epstein e sua irma na Orchard Street
Filhas de alemães: Bella e a irmã na Orchard Street – Foto: acervo Tenement Museum

E Under One Roof, primeira exposição do prédio 103, é um grande panorama do Lower East Side. Conta três histórias diferentes: uma família de judeus sobreviventes da Segunda Guerra Mundial, dois irmãos porto-riquenhos e uma chinesa que trabalhava em uma típica confecção de roupas do bairro.

Para quem está viajando com criança, a melhor opção é o tour Victoria Confino, que tem uma atriz no papel de uma jovem imigrante grega contando sua própria história e objetos cenográficos em que se pode tocar.

Tenement Museum - Cozinha da familia Confino - Foto Keiko Niwa
Cozinha da família grega Confino – Foto: Keiko Niwa

Não é permitido tirar fotos dentro dos prédios e é importante lembrar que os prédios históricos têm estrutura bem antiga – então vale observar no site quais os tours indicados para quem não pode subir escada ou tem mobilidade reduzida.

Imigrantes irlandeses em Nova York

O tour que eu fiz foi o Irish Outsiders, que visita a casa da família Moore – irlandeses católicos que moraram ali em 1869, numa época em que predominavam imigrantes alemães no bairro. Achei muito interessante que a visita fala sobre a vida em Nova York naquela época, mas também aborda questões sobre tolerância, comunidade e a busca por identidade.

Tenement Museum - Moore casal irlandes em Nova York 1937
Moore: casal irlandês em Nova York, 1937 – Foto: acervo Tenement Museum

Em 1860, quase um terço da população de Nova York era formada por irlandeses. Além de nos contar as histórias e comentar os objetos de época, a guia nos mostrou matérias de jornal daquele período que noticiavam o desfile de St. Patrick’s Day e faziam caricatura de como os irlandeses eram tratados na sociedade.

Foi uma experiência que realmente transformou a nossa percepção da cidade!

Tenement Museum - Casa da família irlandesa Moore 1869 - Foto Liz Clayman
Casa da família irlandesa Moore, como era em 1869 – Foto: Liz Clayman

Os bastidores do Tenement Museum

Um tour que pareceu muito instigante e que eu gostaria de fazer numa próxima viagem é o Exploring 97 Orchard, que acontece apenas às quintas-feiras e compartilha os bastidores do trabalho de pesquisa do museu!

A ideia é mostrar de que forma a legislação e a moda da época fizeram com que o proprietário e os residentes deixassem vestígios no prédio – e como historiadores, arqueólogos e outros especialistas conseguiram usar esses elementos para analisar a história do local.

Tenement Museum - Piso danificado no predio 103
Piso danificado pelo tempo no prédio 103 – Foto: Tenement Museum

Precisamos falar sobre os imigrantes

Todo mundo tem algum amigo ou parente que foi morar em outra cidade ou em outro país… A gente sabe que a adaptação e a distância não são fáceis (quanto mais em períodos de guerras e crises!). Ainda sim, há quem se esqueça de de olhar para o aspecto humano da imigração.

Fico impressionada de perceber quantas vezes a história é capaz de se repetir: mudam as nacionalidades e os contextos geopolíticos, mas as trajetórias de vida das pessoas são essencialmente as mesmas.

Tenement Museum - Mulher porto riquenha embarcando para os EUA com nenem
Mulher porto-riquenha embarcando para os EUA – Foto: acervo Tenement Museum

Não é um fenômeno novo, mas é uma questão ainda muito atual. Discutir a imigração e desenvolver a nossa empatia é mais importante agora do que nunca.

E é por isso que o Tenement Museum é tão emocionante: ele conta a história da família Moore para falar sobre Nova York, e conta a história de Nova York para falar sobre o mundo.

Leia também:

Museu do Cinema: uma surpresa no Queens novaiorquino
Ziguezague pelas galerias de arte no Chelsea, em NY