San Diego mora no meu coração. Além de ter aquele clima tranquilo do sul da Califórnia, foi a cidade que escolhi para fazer intercâmbio em 2007. Em 2015, quando marquei minha viagem para Califórnia, fiz de San Diego uma parada obrigatória para poder rever todos os cantinhos que me conquistaram.

o-que-fazer-em-san-diego-pier-no-pacifico

Crystal Píer em San Diego

Aconselho para quem pensa em visitar San Diego reservar no mínimo 2 dias – mas se tiver uns 3 ou 4 vai ter muito para ver também. Eu cheguei na Califórnia por Los Angeles e de lá aluguei um carro para descer até o sul, a viagem leva tranquilamente duas horas, mas se você quiser parar em outras cidades ao longo do caminho aconselho sair de manhã de Los Angeles, para poder aproveitar ao máximo das outras cidadezinhas ao longo do caminho.

Belmont Park, PB e La Jolla

o-que-fazer-em-san-diego-belmont-park

Belmont Park

Minha primeira parada na cidade foi o Belmont Park, que tem um certo jeitinho vintage. É um parque de diversão daqueles que dão saudade de ser criança, com montanha-russa, carrinhos de bate-bate, jogos de arcade, restaurantezinhos e uma wave house que proporciona uma experiência única para quem quer testar suas habilidades no surf sem enfrentar as ondas do Pacífico.

Eu não me aventurei na prancha mas escolhi almoçar no Wavehouse Bar & Grill em frente à atração, me deliciando com um burger e uma cerveja local. Depois me entreguei a um sorvete monstruoso e delicioso do The Sweet Shoppe.

o-que-fazer-em-san-diego-belmont-park-sorvete-gde

Sorvetão no parque

Segui rumo para passear em Pacific Beach e La Jolla, minha região favorita em San Diego. Famoso por ser o bairro dos surfistas e do pessoal mais jovem, Pacific Beach possui várias festinhas à noite.

Eu gosto de ir para PB (como os locais chamam) na parte da tarde, para aproveitar o pôr-do-sol no Crystal Pier e fazer compras nas mais diversas lojinhas do bairro. A boa é ficar caminhando ao longo do calçadão, sentar na areia e assistir aos surfistas, ler um livro e aproveitar o clima gostoso que o sul da Califórnia tem a nos oferecer.

La Jolla fica do lado de PB e é o local mais encantador de San Diego, com as casas mais charmosas e uma natureza indescritível. Dá vontade de largar tudo, comprar uma casinha lá e passar o resto da vida admirando a paisagem.

No caminho até La Jolla Cove para admirar as focas que ficam à beira da praia, é possível se distrair com os diversos artistas de rua que se inspiram em uma das mais belas paisagens dos Estados Unidos para fazer a sua arte.

o-que-fazer-em-san-diego-por-do-sol-no-pacifico

Pôr-do-sol no Pacífico

O primeiro dia terminou com o lindo pôr do sol do Pacífico e um passeio à noite no Gaslamp Quarter, um distrito histórico em Downtown San Diego que possui vários bares e restaurantes no meio de lindos prédios da era vitoriana, que são a atração principal do bairro.

San Diego Zoo e USS Midway

O dia seguinte foi dedicado a duas das maiores atrações da cidade, o Zoológico de San Diego e o gigantesco porta-aviões USS Midway, da Marinha americana.

o-que-fazer-em-san-diego-panda-gigante-no-san-diego-zoo

Panda no San Diego Zoo

Não sou fã de zoológicos, mas o San Diego Zoo vale a pena – ele fica localizado no Balboa Park e é um dos poucos do mundo que abriga o panda gigante, queridinho de todos os visitantes. O zoo é bem grande e anda-se muito lá, mas para quem prefere fazer um tour mais rápido existe também a possibilidade de pegar um ônibus que atravessa 75% do parque com um tour guiado.

o-que-fazer-em-san-diego-navio-porta-avioes-uss-midway

O navio-museu USS Midway

O porta aviões e museu USS Midway, localizado no Navy Pier, é um navio porta-aviões da Marinha Americana que operou por quase 50 anos – participou de várias missões internacionais de resgate e missões de treinamento, além de ter servido na Guerra do Iraque em 1990 e ter tido um papel importante e estratégico na Guerra do Vietnã.

Ele é o maior porta-aviões aberto ao público do mundo e conta com a exposição de mais de 20 aeronaves em seu convés principal, todas utilizadas pela marinha americana.

o-que-fazer-em-san-diego-unconditional-surrender

Unconditional Surrender

Ao lado do museu está a gigantesca estátua Unconditional Surrender, esculpida por Sweard Johnson a partir da famosa fotografia VJ Day Kiss (que também inspirou um grafite lindo em NY). Aquele beijo do marinheiro com a enfermeira se tornou um símbolo do pós-guerra e uma das imagens mais conhecidas do mundo.

o-que-fazer-em-san-diego-dont-believe-the-hype-grafitti-os-gemeos

Don’t Believe The Hype

Dali, é possível voltar a pé ao Gaslamp Quarter para admirar mais o bairro, dar uma volta pelas lojinhas e ir até o shopping Horton Plaza – que tem um mural incrível d’Os Gêmeos no seu estacionamento (na G Street, entre a 2ª e 3ª avenida). O mural de grafite intitulado “Don’t Believe the Hype” foi comissionado e promovido pelo Museu de Arte Contemporânea de San Diego – quão hype é isso? rs.

Share

22 Comentários

Exibir Comentários