Roteiro Côte D’Azur: de Nice a Mônaco

Nice foi a base do meu roteiro pela Côte D’Azur. Passei 5 dias lá e reservei 3 deles para conhecer as cidadezinhas da região, fazendo bate-e-volta em Mônaco, Cap Ferrat, Villefranche, Saint Paul de Vence, Cagnes e Éze Village.

Preferi não alugar carro e todos esses passeios de ônibus, mas foi super tranquilo, especialmente porque as distâncias não são longas… Quase todos os vilarejos ficam a cerca de meia hora de Nice – o mais distante é Saint Paul de Vence, que leva 1h para chegar.

cote-dazur-cap-ferrat
Cap Ferrat

Cap Ferrat e Mônaco

A ideia original para o primeiro passeio era combinar Villefranche-Sur-Mer e Saint Jean Cap Ferrat no mesmo dia, que é o que a maioria dos viajantes faz. A cidade de Villefranche é uma gracinha quando vista do alto, tem uma prainha gostosa e um vilarejo charmoso. Mas, quando peguei o ônibus 81 na Place Garibaldi, não desci lá. Segui direto para Beaulieu-Sur-Mer, uma praiazinha pequenina e charmosa, com seus guarda-sóis laranjas e azuis, e de lá segui a pé para a belíssima Cap Ferrat.

cote-dazur-villa-ephrussi
Villa Ephrussi

O caminho é delicioso até os jardins de Villa Ephrussi de Rothschild, um dos lugares mais bonitos de Cap Ferrat. Esse palácio ao estilo veneziano foi construído durante a Belle Époque e tem 9 (isso mesmo: nove!) jardins temáticos – todos com perfumes divinos. Isso sem falar nas fontes musicais do Jardin à la Française, que bailam com as quatro estações de Vivaldi. Passei um bom tempo passeando pelos jardins, fiz um lanche no bistrô e foi aí que os planos mudaram: eu decidi ir a Mônaco.

roteiro-cote-dazur-janela-em-cap-ferrat

cote-dazur-toi-et-moi-em-cap-ferrat
Em Cap Ferrat

Peguei o ônibus 100 em Cap Ferrat, desci na entrada da cidade de Mônaco e fui caminhando até o Cassino de Monte Carlo. No caminho, a paisagem incrível, os iates luxuosos ancorados na marina…. Claro que entrei no casino pra ver!, mas só pra ver… E tomei um delicioso glace de frutas vermelhas com chocolate belga no Café de Paris enquanto observava o vai e vem das pessoas, e as Ferraris e outros carros de luxo.

cote-dazur-cassino-de-monaco
Cassino de Mônaco

Para voltar pra Nice, peguei novamente o ônibus #100, que me deixou na place Garibaldi, onde comprei um rosè de Provence e um camembert no mercado que tem ali e fui direto fazer um picnic na praia, enquanto o sol ia embora, deixando o céu com aquele tom de laranja que me fascina.

Veja também: Como foram os 5 dias em Nice
cote-dazur-picnic-em-nice-na-praia-de-pedrinhas
Picnic em Nice

Villefranche e Éze Village

Só visitei Villefranche-sur-Mer num outro dia, na volta do meu passeio a Éze Village. Villefranche é um vilarejo do seculo XVI que fica a apenas 15 minutos de Nice, cheio de ruelas e casinhas nos tons mais variados de ocre e terracota, como em toda a Côte D’Azur.

O melhor jeito de visitar Villefranche é dar uma paradinha a caminho de Cap Ferrat ou de Mônaco. Como é muito parecida com as outras cidadelas da região, só vale mais que uma voltinha se você for curtir um pouco a praia também.

cote-dazur-o-mar-mediterraneo-visto-de-eze-village
Jardim exótico em Éze Village

Mas o lugar que conquistou meu coração naquele dia foi Éze Village. De Nice, as linhas de ônibus para lá são a 82 ou a 112, que partem da estação Max Barel (o trajeto dura 20 minutos e a passagem custa €1,50). O caminho pelas corniches é lindíssimo!

Éze Village é um lugar pra se esquecer da vida, com suas ruazinhas medievais, dezenas de lojinhas fofas e galerias de arte, e, principalmente, o Jardim Exótico, que fica no topo da vila e tem a vista mais fantástica de todas!!

cote-dazur-rua-medieval-em-eze-village
Éze Village

De um lado, aquele Mediterrâneo azul; do outro, as montanhas e as corniches. Me esqueci tanto da vida que fui perdendo os ônibus pra voltar pra Nice, que são bem poucos…  Não é à toa que Nietzsche disse “ah, esses gregos! Eles sabem mesmo como viver!” – toda essa região era da Grécia, 2300 anos atrás; parece que escolhiam seus territórios pela beleza!

No pé da vila, tem uma das duas únicas lojas da perfumaria Galimard, onde é possível desenvolver sua fragrância exclusivérrima (precisa agendar previamente e a preparação leva cerca de 3 horas) ou escolher entre as dezenas de preciosidades que existem lá.

cote-dazur-arco-eze-village
Éze Village

Saint Paul de Vence e Cagnes-sur-Mer

No dia seguinte, acordei super animada para conhecer Saint Paul de Vence – por tudo que havia lido, essa prometia ser a cidade mais bonitinha de todas, “a cereja do bolo”.

Para ir até lá, peguei o ônibus na Avenue Albert Premier, que fica na esquina da praça de mesmo nome com a Promenade, na altura do cassino (linha 400, 1.5€, 1h). Adoro esses caminhos que contornam as orlas, e por isso preferi novamente ir de ônibus ao invés de pegar um trem (não tem trem direto pra St. Paul, mas tem pra Cagnes, de onde dá pra pegar um ônibus).

cote-dazur-lu-numa-ruazinha-em-saint-paul-de-vence
St Paul de Vence

Saint Paul é realmente muito lindinha! Uma delícia de vilarejo no topo de uma colina, com infinitas ruelas, lotadas de galerias de arte, lojinhas, bistrôs e sorveterias. Bem parecida com Éze, o que me faz ficar muito na dúvida para escolher minha favorita (no fundo, no fundo, eu acho que Éze ainda ganha, por causa do jardim exótico).

cote-dazur-casas-e-plantas-em-saint-paul-de-vence
St Paul de Vence

Para seguir viagem até Cagnes-sur-Mer, peguei o mesmo ônibus linha 400 voltando na direção de Nice e desci na estação Square du 8 Mai, mesmo local onde fica a estação de trem. Daí, bastou seguir as placas indicando Haut de Cagnes (colinas) para chegar à Place Bourdet, de onde parte o mini ônibus 49 – um shuttle gratuito que leva até a colina.

O ônibus subiu, subiu, passou por ruelas tão estreitas que eu não acreditava e, finalmente, chegou ao plateau do Château Grimaldi. Que vista da cidade, que vista de toda a região!!! Havia também uma exposição de arte (muito) moderna, mas o castelo é tão pequenininho que em menos de 10 minutos já havia visto tudo.

cote-dazur-alto-da-colina-em-saint-paul-de-vence
Alto da colina

Cagnes vale mesmo a pena é para os fãs de Renoir. Depois de apreciar a paisagem que o inspirou para tantas de suas pinturas, fui visitar o Museu Renoir. Uma casinha fofa, onde o pintor morou com a família na época mais criativa de sua carreira. Dá para ver todos os cômodos ainda com a mobília original, e a casa tem um jardim legal.

À tardinha, hora de voltar para Nice e aproveitar mais uma noite na Promenade des Anglais, com um drink em um dos lounges e barzinhos da praia. Nos 2 dias seguintes, curti as belas praias da Côte D’Azur e visitei a cinematográfica cidade de Cannes, com direito a um passeio para a Ilha de Santa Margarida, antes de seguir viagem para Provence. Fica de olho aqui no blog que ainda tem várias dicas vindo por aí! 😀