Dicas para escapar das filas em Roma (ou pelo menos tentar)

Roma certamente é uma das cidades mais incríveis que se pode visitar. Tipo Paris, sabe? Você chega lá já tendo visto aqueles cenários milhares de vezes em fotos, filmes, livros, TV (Ilze Samparini sempre transmitindo ao vivo da Piazza Di San Pietro para a Globo, desde que eu era criança). Mesmo assim, a cada esquina que se dobra, uma surpresa de fazer cair o queixo. História, arte, cultura, gente linda… Por isso, quem tem 3 ou 4 dias para conhecer a cidade – conhecer, não, visitar – não pode perder tempo em filas. Certo?

Spanish Steps: escadaria lotada
Spanish Steps: escadaria lotada

Não existe baixa temporada em Roma, embora haja os períodos críticos como férias de julho, Semana Santa e outros feriados religiosos. Apesar de a cidade estar apinhada de gente o ano inteirinho, o clima é de “este lugar é uma delícia, quero morar aqui, me dá outro Spritz, moço!”. Para curtir o mood sem estresse, aí vão algumas dicas garimpadas e vividas para (tentar) escapar de horas na porta de museus e outras atrações. Fique atento! Os próprios italianos são os mais metidos a espertinhos e sempre vão tentar furar a fila. Os chineses também.

1. Roma Pass

Fonte da Piazza Navona
Fonte da Piazza Navona

Alguém mencionou essa opção nos comentários do post sobre City Pass aqui no blog. Em termos financeiros, não é tamanha vantagem, mas o Roma Pass pode te ajudar a escapar de algumas filas, como a principal delas, para entrar no Coliseu. É bom para quem tem pouco tempo e quer ver o básico, o imperdível. Só tem que tomar um cuidado: se você deixa, o passe acaba por comandar o seu roteiro, já que só pode ser usado em 3 dias consecutivos… Mas vai do estilo de cada um.

Monumento a Vittorio Emanuele II
Monumento a Vittorio Emanuele II

2. Leia a Bíblia antes da viagem

Sim, conhecer bem as escrituras economiza tempo! Ninguém aqui tá falando de religião – a questão é que a leitura ajuda você a não ficar tão perdido nos museus tentando entender a essência da Renascença a cada tela. Ou seja, a luz do quadro é incrível, mas quem é mesmo aquele homem com a caveira na mão, ou qual a diferença entre as 37 Madonas com Bambini que eu já vi?

Falando sério, um conhecimento básico do Velho Testamento vai fazer você aproveitar 200% todos os museus italianos e a Capela Sistina – onde você sofre não para entrar, mas para conseguir concluir a visita e sair, é uma via sacra.

3. Capela Sistina

imagem via
imagem via

Falando nela, reserve o ingresso pela internet 1 mês antes. Muuuito antes também não dá, pois o site não apresenta a disponibilidade. Marque o ingresso para o mais cedo que puder.  Com os expressos e ristrettos que você tomar diariamente nos cafés da cidade não terá como sentir sono na visita. A vantagem de chegar cedo é não pegar o museu tão lotado. Pegadinha: você só reserva pela internet, mas paga na hora, só que com pouquíssima fila.

São duas opções de roteiro, o curto e o longo. Acho que não precisa fazer o longo, afinal, todos os outros museus de Roma já dão conta da Renascença. O que você quer mesmo é ver a capela, não é? Só se chega a ela no fim da peregrinação – siga os outros romeiros. Uma vez lá, respire fundo. Tem lugar para sentar!!! Aguarde alguns minutos. Você vai perceber que os visitantes anteriores, a galera dos tours, não tem paciência pra ficar contemplando e levanta rápido, gente que não se permite ficar ali para apreciar com calma o que o homem fez de mais maravilhoso em nome de Deus (não, isso também nada tem a ver com religião) porque o relogio tá correndo.

Obs.: Se você não leu a Bíblia, tem uma ordem pra ver a pintura da capela, tá? A Criação (dedinhos se tocando…) é o início. Aí segue em sentido horário.

4. Coliseu

Roma - Coliseu
Coliseu: sempre cheio

O lance aqui é fazer o passeio das ruínas completo, entrando pelo Fórum Romano. Você compra na hora (ou aqui pela internet) o ticket combinado que dá entrada nas três atrações: Fórum em si, Palatino e Coliseu. Muito das ruínas do Fórum você vê da rua, por certo. E de graça. Mas lá dentro o parque arqueológico traz muito mais. Enjoou? Anda mais rápido até a saída principal e você vai estar literalmente de cara para o gol (Ah, vai, o Coliseu é o molde para nossos estádios atuais. Pouca coisa mudou). Aí você pode ter o prazer sádico de passar na frente de pelo menos umas quinhentas pessoas suando debaixo do sol e entrar direto no Coliseu, sem fila, muito VIP.

5. Capitólio

imagem via
imagem via

Esse museu é incrível, mas costuma ter uma fila imeeeensa e para escapar dela dependerá da sorte. Neste caso, nem o Roma Pass salva, simplesmente porque a entrada é desorganizada. O Capitólio é muito visitado por escolares, as professoras te atropelam com aquele grupinho de criaturas barulhentas. A dica aqui é a paciência. O museu vale a pena.

6. Vila Borghese

Parque na Vila Borghese
Parque na Vila Borghese

Não tem fila, mas foi uma gastura para comprar pela internet, tentei dois meses e meio antes (!) e não consegui. A dica então é garantir seu ingresso com bastante antecedência, assim que comprar a passagem. Se não conseguir, ou não fizer tanta questão, o parque em volta supre cada pontinha de frustração dos que não tiveram oportunidade de entrar. É literalmente o coração de Roma e eu não vou dizer o porquê. Surpreenda-se 😀

7. Ver o Papa

Praça do Vaticano
Praça do Vaticano

Sorry, mas ver o Papa sem muuuita espera não dá. Essas são dicas para mortais, não tenho como operar milagres. Bem, se você quer muito assistir à missa celebrada pelo simpático Papa Francisco, saiba que vai perder – ganhar – o domingo inteiro em frente à Catedral de São Pedro, no Vaticano. Os guichês em volta dão todas as informações, você pode ir lá antes para fazer todas as perguntas, mas não tem jeito. Tem de madrugar (tipo 5h da matina). Ah, e se naquele domingo o Papa não puder comparecer, não vão avisar ao público com antecedência. Você só saberá na hora que a missa começar e o argentino não aparecer no telão. Bem, na pior das hipóteses você sairá de Roma com motivo sagrado para voltar.

3 comentários

  1. Olá! Minha irmã casa na Toscana no dia 18/06/16. Estamos indo em família. Pra mim será a primeira viagem à Europa. Pretendo ir dia 15/6 e retornar dia 29/6. Gostaria de uma sugestão de lugares que possa conhecer na Itália e um ou dos países vizinhos. Pra ir de trem talvez. Estaremos em grupo.
    Aguardo um retorno. Obrigada.

    1. Oi, Lucia! Casar na Itália deve ser lindo! Felicidades para a sua irmã 🙂
      Você pode aproveitar para conhecer outras cidades italianas como Roma, Bolonha, Milão e San Marino (veja as dicas da Itália aqui). Duas opções em países próximos que têm trens diretos são Munique (que eu recomendo muito!) e Viena.
      Como provavelmente você pegará um voo com escala do Brasil para Florença, uma ideia interessante é pedir um “stopover” (você desembarca, passa alguns dias na cidade da escala, depois pega o outro voo até o destino final). Normalmente voos da Air France param em Paris, British Airways em Londres, Iberia em Madri, KLM em Amsterdam e assim por diante.
      Abs e boa viagem!

Deixe uma resposta