Quanto mais longa a viagem, mais difícil é manter a mala arrumada. E quanto mais a gente viaja, mais a gente descobre a importância de organizar tudo, especialmente quando o roteiro é longo e inclui várias cidades. Agora que já rolou um post com o be-a-bá de como arrumar mala de viagem, vamos às dicas para tornar a arrumação mais prática:

Foto: Ana Montalvo - Flickr (via Getty Images)

Foto: Ana Montalvo – Flickr (via Getty Images)

O tamanho da mala

O primeiro passo é checar na sua passagem a quantidade máxima de bagagem, o tamanho e o peso permitidos. Observe que se você for do Rio a Londres e parar por uns dias em Paris, por exemplo, o trecho entre Londres e Paris terá uma restrição maior do que o voo intercontinental. Normalmente, daqui para a Europa ou para os EUA são permitidas 2 malas de 32 kg, enquanto nos voos regionais o limite é de 23 kg.

No caso das companhias aéreas de baixo custo (como Ryanair e Easyjet), somente uma bagagem de mão é permitida (uns 5 kg apenas, com dimensões máximas de 56 x 45 x 25 cm) e cada mala despachada é paga à parte (15 ou 20 euros, em média). E não vale levar uma pasta ou uma bolsinha além da mochila, tem que ser apenas uma peça de hand luggage mesmo. E eles são bem rígidos com o limite de tamanho. Normalmente há um testador perto do check in: se a mala não couber na caixinha, tem que pagar para despachar.

[Atualização em dezembro de 2013: a Ryanair agora permite bagagem de mão de até 10 Kg com as dimensões máximas de 55cm x 40cm x 20cm e mais uma bolsa pequena até 35cm x 20cm x 20cm. Leia os termos no site da companhia.]

O tempo e o roteiro

Em seguida, analise o local de destino e faça uma lista do que você não pode esquecer. Alguns sites têm sugestões de “check list” prontas. Antes de começar a colocar tudo dentro da bagagem, pesquise como é o clima da região que você irá visitar e tenha em mente o tipo de atividades que você pretende realizar  (se você vai fazer um mergulho, se vai frequentar festas e baladas, ou se tem algum evento social, por exemplo). Assim, você já começa a priorizar o que levar ao fazer a malas. Note que, em alguns países, há prédios públicos e templos religiosos que exigem roupas mais comportadas.

O sonho da mala leve

Sempre acontece de a nossa mala parecer menor do que a gente queria, mas rola um medo de tirar alguma coisa que vá fazer falta depois. Posso afirmar por experiência que viajar com uma mala grande e pesada é extremamente cansativo e dificulta muito os translados, então recomendo rever a lista criteriosamente e deixe apenas o necessário. Programe-se para lavar roupa ao longo da viagem e aceite a ideia de repetir looks. Mesmo que seu hotel ou albergue não seja equipado com lavanderia, deve ter alguma por perto.

Deixe um espaço sobrando

É comum que a gente encontre em outros países lojas com coisas super legais diferentes do que vemos por aqui. Ter um espacinho extra na mala para trazer presentinhos e souvenirs é mais um motivo para levar pouca coisa. Mas se a ansiedade de várias opções de roupa for grande, recorra a uma space bag: plásticos fechados a vácuo que diminuem o espaço ocupado pelas roupas em até 5x.

Leitura e entretenimento

Saber que a gente vai passar um tempo fora pode despertar a vontade de levar coisas que nos façam sentir em casa: as músicas preferidas, uns livros e tal. Mas, na minha opinião, isso deve se restringir a coisas leves e compactas. É que enquanto estou viajando fico super envolvida nos passeios e tento ao máximo observar a cultura local, escutar o som da rua, conversar com outros viajantes e tal… Acabo nem usando nada disso que eu levei. Claro que não é má ideia levar uma música ou outra em mp3, quem sabe até para mostrar algum artista ou banda brasileira para os gringos. Mas procuro não me apegar muito às coisas daqui e ir de coração aberto para o que vou encontrar nos lugares que visito.

Uma ideia é levar um livro que possa ser deixado para trás em algum momento do caminho. Alguns albergues têm estantes com livros que outros viajantes deixaram e às vezes acontece de a gente encontrar títulos bem interessantes ou até inspiradores para as próximas paradas. Quanto ao guia de viagem, eu normalmente tiro cópia das páginas mais úteis do guia de viagem para não ter que levar o livro inteiro nos passeios – e assim também posso fazer anotações à vontade.

Mantenha tudo organizado

Sabe aquele organizador de bolsas que virou moda entre as mulheres? Existe uma versão para malas, com compartimentos de tamanhos variados, que pode tornar mais fácil encontrar tudo o que você fez caber dentro da mala sem precisar revirar a coisa toda. Pode ser especialmente útil para quem viaja com mochila de camping, que é comprida e logo vira uma bagunça. Necéssaires, saquinhos e “porta-trecos” em geral também são opções (mas evite os sacos plásticos caso você fique em albergue, pois o barulho incomoda as outras pessoas que estiverem dormindo no quarto).

Utilidades

Existe uma variedade infinita de e acessórios para viagem, desde carteira para passaportes até travesseiro inflável e balança digital portável para pesar a mala e evitar sustos com taxa de bagagem extra. Uma dica que achei super prática foi um tripé articulado (quase ninja) para tirar fotos – porque nem sempre tem uma superfície reta para montar um tripé normal, né? Funciona super bem, especialmente para quem viaja sozinho ou em casal e não gosta de pedir favor aos passantes.

Também testei um carregador universal à bateria solar, que tem entrada para vários modelos de celular, mp3 player e outros gadgets. Por garantia, o aparelho também pode ser ligado na tomada regular (e aí é bom lembrar de arranjar adaptadores de acordo com os países que você vai visitar). O carregador funcionou com o meu celular, mas não com a minha câmera fotográfica, que exige uma potência maior. Fiquei com a impressão de que o aparelhinho só capta energia quando tem luz bem intensa mesmo… Mas a vantagem é que ele consegue armazenar um pouquinho da energia e fica com alguma autonomia para recarregar também à sombra depois.

E vocês, têm alguma dica boa para quem tá fazendo as malas?

Share

10 Comentários

  1. Muito boas as dicas! Eu sempre levo algum livro, vou passar a procurar essas bibliotecas nos albergues. Também gostei desse tripé aí!!! Já usou um desses?

    • Oi, Fabi! Um amigo me emprestou um tripé articulado desses para a viagem que fiz esse mês. É realmente útil e quebrou uns bons galhos! Ótimo para quem está viajando sozinho ou em par…
      Confesso que tenho certa preguiça de carregar o troço o dia inteiro enquanto estou passeando, mas se você pensa em levar um tripé, esse é uma excelente opção!

  2. Olá, vou viajar dia 12 de julho, para Berlim, Budapeste, Praga e Viena, gostaria que me ajudasse em relação as roupas.
    Lá é verão, mas é diferente do nosso verão brasileiro. aguardo
    Agradeco no que puder me ajudar
    Isabel

    • Oi, Isabel
      O verão lá não é tão diferente daqui, não. Costuma ter muita fila nas atrações, pois é alta temporada, e os parques ficam cheios de gente tomando sol – aproveite para fazer picnic! Na mala, roupas leves para passear o dia inteiro, protetor solar etc. Se quiser, pode levar um casaquinho para a noite e um guarda-chuva, pois o verão também é a época em que mais chove nessas cidades.

      Não deixe de ver nossas dicas do que fazer em Budapeste (http://wp.me/p4eMct-1hX) e navegue também pelos posts sobre Berlim (http://vontadedeviajar.com/tag/berlim/). Em breve também vão rolar várias dicas de Praga aqui no Vontade de Viajar : )

  3. Vou viajar na ryanair vou levar uma mala no porão que tem de altura 70 cm 20 e tal cm de profundidade e 49 cm de largura, a minha mala com estas medidas pode ir na bagagem do porao?

    • Também estou na torcida, Brenda! Mas, infelizmente, acho que é uma questão de tempo até isso acontecer…
      Obrigada pela visita e pelo comentário! Beijos

Exibir Comentários