Como ir de Lisboa a Sintra: o caminho mais bonito

Fizemos o trajeto de Lisboa a Sintra pelo caminho mais bonito, viajando de carro pelo litoral e parando para apreciar a vista do Atlântico. Três fantásticos mirantes (ou miradouros, como dizem os portugueses) estavam no nosso roteiro: Boca do Inferno, Cabo da Roca e Azenhas do Mar.

portugal-boca-do-inferno-mar-em-cascais
Boca do Inferno

Pegamos o carro alugado no próprio aeroporto de Lisboa e já partimos para a estrada – deixamos a capital para visitar por último. Como era um vôo direto, sem escalas, a viagem não foi cansativa e desembarcamos por volta do meio dia animados para conhecer as belezas de Portugal! 🙂

Boca do Inferno, em Cascais

A primeira parada foi a Boca do Inferno, uma ponte natural formada nas pedras pelas ondas do Atlântico. Partindo do aeroporto de Lisboa, chegamos lá em pouco mais de meia hora.

portugal-boca-do-inferno-ponte-natural-no-mar
Boca do Inferno

Conta a lenda que a moça mais bonita da região estava fugindo com o cavaleiro por quem estava apaixonada quando o homem a quem ela tinha sido prometida – um feiticeiro poderoso e ciumento – fez surgir uma terrível tempestade que fez a terra tremer e o mar se revoltar. Nisso abriu-se uma fenda que sugou os amantes para dentro do mar, e aquela fenda jamais se fechou.

Na vida real, é difícil saber ao certo como a Boca do Inferno se formou. Uma das teorias é que antigamente havia uma gruta ali, e a rocha teria sofrido erosão até perder completamente as camadas de cima… Faz sentido quando a gente vê o contorno das pedras, mas a história do feiticeiro é muito mais legal, né? 🙂

portugal-boca-do-inferno-viagem-em-familia
Viagem em familia em Portugal

Assistir as ondas batendo na Boca do Inferno é uma cena incrível, um bocado d’água entra e sai pela fenda enquanto o resto rebenta contra a rocha! Ouvi dizer que em dias de vento forte as ondas chegam a assustar, e daí o lugar ganhou esse nome.

Atenção a quem está viajando com crianças ou tem tendência a se distrair tirando selfies: todo cuidado é pouco na beira das pedras, especialmente com ventania! Também é bom saber que tem um quiosque ao lado para fazer um lanche antes seguir a estrada 😉

Cabo da Roca, onde a terra se acaba e o mar começa

Continuamos o trajeto por aldeias e vilarejos até chegar ao Cabo da Roca, a ponta mais ao oeste da Europa continental. Daqui pra lá, é só mar até as Américas.

portugal-cabo-da-roca-ponta-mais-ocidental-da-europa
A pontinha da Europa

No século 17, ali era local de um forte militar super estratégico, por estar bem na pontinha do continente e na região central do território de Portugal. Com visão clara do mar, controlava o movimento das embarcações tanto ao norte quanto ao sul.

No século seguinte, o Marquês de Pombal mandou construir o farol que existe até hoje (se quiser entrar para ver, programe-se para visitar o Cabo da Roca numa quarta-feira, único dia em que o farol está aberto ao público).

portugal-cabo-da-roca-farol-da-roca
Farol do Cabo da Roca

Dos três miradouros, esse era o mais cheio, com vários ônibus de turismo estacionados em volta e uma enorme loja de souvenir… E a tendência do lugar era ficar cada vez mais cheio à medida que a hora do pôr-do-sol se aproximava.

Mas a verdade é que basta a gente chegar na beira do mar para esquecer todo aquele movimento. Ali de frente para a imensidão do Atlântico, a sensação é que só tem você e o mar. E o vento, claro.

portugal-cabo-da-roca-por-do-sol-de-inverno-no-oceano-atlantico
Pôr-do-sol de inverno

É um daqueles lugares onde a gente se sente pequeno e grande ao mesmo tempo, onde a gente se encanta com o mundo e fica hipnotizado pelo magnetismo da paisagem.

No centro do miradouro tem um monumento com uma cruz e uma placa que marca as coordenadas geográficas da “ponta mais ocidental do continente europeu”. A citação de Camões que se tornou tão conhecida é um trechinho do Canto III dos Lusíadas, obra-prima do poeta português:

Eis aqui, quase cume da cabeça
De Europa toda, o Reino Lusitano,
Onde a terra se acaba e o mar começa
E onde Febo repousa no Oceano.

portugal-cabo-da-roca-placa-camoes
Versos de Camões

E foi só quando li esses versos que aprendi que Febo é o sol, eu não sabia. Quer dizer que já no século 16 o pôr-do-sol no Cabo da Roca era um espetáculo que ganhava fama 😎

Azenhas do Mar, pertinho de Sintra

A última parada na nossa aventura de Lisboa a Sintra foi em Azenhas do Mar, uma aldeia de apenas 800 habitantes que se formou sobre uma falésia na beira do mar.

O enclave de casinhas brancas no alto do rochedo é o cenário que faz Azenhas conquistar todo mundo que passa por ali. A foto de cartão postal é tirada do mirante que tem entrada pela Rua Dr. Antônio Brandão de Vasconcelos, mais ou menos na altura da Azinhaga do Beiriz.

portugal-azenhas-do-mar-casinhas-brancas-no-rochedo
Casinhas no rochedo

Dependendo da maré, surge uma faixa de areia que é muito bem aproveitada pelos portugueses no verão. A piscina de água natural é a grande estrela da praia, onde dá pra curtir a água sem se preocupar com as ondas fortes.

Bem em cima da piscina, contornando o rochedo, fica um restaurante que tem vista privilegiada para o mar e um agradável terraço para tomar drinks (é bom fazer reserva).

portugal-azenhas-do-mar-azulejos-nas-casas-da-aldeia-foto-priscila-roque-cultuga
Azulejos de Azenhas – foto: Cultuga

Nesse ponto da viagem, já estamos a apenas 15 minutos de Sintra. Mas se quiser passar a noite para aproveitar a praia e o jantar de frutos do mar, há pousadas locais como a Azenhas do Mar Village.

A aldeia é bem pequena mas é simpática, fiquei apaixonada pelos desenhos em azulejo na fachada das casas. E entre umas e outras a gente ainda tem a surpresa de encontrar versinhos de poesias escritas em pedra ♥

portugal-azenhas-do-mar-poesia-nas-pedras-foto-bruna-barbosa-expressinha
Poesia nas pedras – foto: Expressinha

Dicas para dirigir em Portugal

Não precisa tirar carteira de motorista internacional para dirigir em Portugal. A CNH brasileira é válida em Portugal por seis meses a partir da data de chegada no país.

As estradas de Portugal são muito boas e bem sinalizadas, mas são cheias de pedágios (que em português europeu se chamam portagens) e algumas tarifas custam pra lá de 10 euros. As locadoras de veículos oferecem um aparelhinho da Via Verde, que permite seguir pela faixa exclusiva sem parar nas cabines de pagamento e sem ter que ficar separando dinheiro o tempo todo.

portugal-viagem-de-carro-de-lisboa-a-sintra
Viagem de carro em Portugal

Com esse dispositivo preso no parabrisa, você passa direto pelo pedágio e recebe a cobrança das tarifas no cartão de crédito. A alternativa é gerar um boleto que deve ser pago em uma agência CTT – Correios de Portugal em no máximo 5 dias (atenção ao prazo pois as multas por atraso de pagamento podem ser pesadas). O sistema também pode ser usado para pagar estacionamentos em várias cidades portuguesas.

A pegadinha é que tem locadora que cobra pelo aluguel do aparelho da Via Verde. Fique atento pois esse valor de diária não isenta a cobrança dos pedágios, apenas significa que você terá mais um gasto.

Rota panorâmica de Lisboa a Sintra

Fizemos esse passeio no dia de Natal, 25 de dezembro, e foi uma ótima maneira de aproveitar o dia quando a maior parte das atrações em Sintra e Lisboa estavam fechadas. Mesmo sendo inverno, fomos presenteados com o céu azul e a temperatura estava agradável – bastava um casaco bom para proteger do vento frio (que bate ali mesmo no verão).

portugal-cabo-da-roca-pescador-no-rochedo
Pescador no mar infinito

A rota panorâmica dá 2h de estrada no total (veja o mapa), sem contar o tempo das paradas para apreciar o visual e tomar um café. Nós fizemos tudo com calma e levamos umas 4h, chegando em Sintra à tardinha. Indo direto pelo caminho mais curto, era possível pra fazer o trajeto de Lisboa a Sintra em apenas 35 minutos – mas certamente a viagem não teria tido a mesma graça 🙂

25 comentários

  1. Nas palavras de Wagner, “Sintra é cidade mais bonita que já vi”. Realmente fantástica! E o caminho até lá é uma viagem a parte!

  2. Nossa, queria ter lido esse post antes. Quando estava em Lisboa fui para Sintra de trem. Resultado: não passei por nenhum destes lugares lindos que você mencionou. Uma pena. 🙁

  3. Viajar de carro na Europa tem inúmeras vantagens, uma delas é a possibilidade de ir parando e conhecendo mais coisas. Amo essa parte de Lisboa
    Bjs

  4. Que coisa linda!! Aliás, Portugal inteiro é uma maravilha. Já fui umas 6 vezes, mas sempre falta algo a conhecer. E, agora, achei mais um monte… rs. As duas pontas eu já fui (Lisboa e Sintra). Falta o meio”.

  5. Noooooossa! Cada paisagem impressionante! É de dar um fôlego para a trip. Acho que em viagem, se tem oportunidade, a gente tem que ver isso mesmo: o trajeto mais bonito, mais interessante e mais cheio de vida. <3

  6. Que viagem delicia, paisagens exuberantes. Só conheço Portugal por fotos, mas morro de vontade de conhecer, e um dia pode admirar essa paisagem com os meus próprios olhos.

    Ah, gostei da história do feiticeiro rs.
    Abraços

  7. Olá Fernanda, tudo bem?
    Sempre vou de Lisboa a Sintra pela IC 19, ou seja, por dentro de Lisboa. Gostaria que me informasse as referências das estradas para se fazer esse percurso, pois o Mapa apenas nos situa. Agradeço muito pela atenção que puder me dispensar.
    Obrigada,

Deixe uma resposta