Não é bem isso que os brasileiros têm em mente quando pensam em viajar para os Estados Unidos, mas uma das experiências mais legais para quem vai a Seattle, na costa oeste americana, é visitar o mercado dos produtores rurais. Apesar de conhecida como uma cidade essencialmente industrial, Seattle se identifica muito no Pike Place Market.

Seattle - Pike Place Market - dicas de viagem no blog Vontade de Viajar

O mercado surgiu em 1907, com apenas 8 fazendeiros, e ao longo do século cresceu e testemunhou as diversas fases de desenvolvimento da cidade. Hoje, são mais de 100 fazendeiros e 190 artesãos, além de 240 músicos e artistas que se apresentam por ali. Esse movimento todo começa às 9h e vai até 17h, todo dia. Com tempo para passear por lá, entre vegetais e antiguidades, você encontra até uma loja de comic books.

Não deixe de observar os peixeiros, que arremessam os peixes pra lá e pra cá,  fazendo do “fish tossing” um espetáculo divertidíssimo de assistir.

O mercado é tão importante para a comunidade de Seattle, que foi criada a Pike Place Market Foundation para dar apoio aos cidadãos de baixa renda e aos velhinhos. Um dos trabalhos mais legais é o Food Bank, que distribui os alimentos não vendidos no mercado, além de outras doações.

Um dos pontos mais famosos dessa região da cidade é a primeira loja Starbucks (Yes, there used to be only one!), aberta em 1971 – ainda mantida com a fachada original. E também vale tirar uma foto com a Rachel, uma porquinha de bronze que se tornou símbolo do Pike Place Market.

Bem perto dali, na Post Alley, tem a curiosa “Gum Wall” – uma coleção de chicletes grudados na parede que, apesar de ligeiramente nojenta, cria um visual interessante.

Mas, claro, para a sua viagem estar completa você também tem que ver a Seattle futurista. A cidade dá uma enorme abertura a interferências arquitetônicas que seriam consideradas chocantes em outros lugares do mundo. Isso é visível especialmente no “Seattle Center”, região que reúne museus e atividades de arte, ciência e entretenimento.

Aproveite quando não estiver chovendo (chove bastante por lá!) e suba a Space Needle: uma torre com um “disco voador” erguido a 184 metros de altura e um terraço aberto que oferece uma vista linda do porto da cidade.

Ainda no Seattle Center, a 5 minutinhos da Space Needle, está o EMP Museum – uma estrutura metálica e colorida (para não dizer esquisitíssima e desforme) que se destaca na paisagem. O EMP é um museu dedicado à música e à cultura pop. Com uma torre de guitarras no hall central e um estúdio interativo, surgiu em 2000 como “Experience Music Project” e depois incorporou a exibição “Science Fiction Hall of Fame”, que era da Universidade do Kansas, e foi ampliando a programação.

A parte dedicada à música tem exposições variadas e não é simplesmente um grande tributo às bandas de Seattle como Nirvana, Pearl Jam, Soundgarden e Alice in Chains – embora no acervo de memorabilia você encontre o sweater que o Kurt Cobain usou no videoclipe de Smells Like Teen Spirit. Já na parte da ficção científica, a cadeira de comando de Star Trek e o sobretudo do Neo em Matrix Reloaded são alguns dos destaques. Vale acompanhar a agenda do museu: você pode ser surpreendido por uma incrível exposição sobre filmes de terror, ou sobre a vida do Jimi Hendrix, sei lá.

Ah, sim: essa viagem a Seattle eu fiz a partir de Vancouver, no Canadá. De ônibus, foram cerca de 2h30 entre as duas cidades.

Leia também:
>> BME, o museu interativo da música britânica
>> As melhores torres para ver o Canadá do alto
.
>> Viagens nerds: destinos e passeios para quem curte ciência

Share

7 Comentários

  1. Olha só, mais respeito com o papel amassado do Frank Ghery. Gosto tanto desse prédio!
    E gosto das bandas e gosto de mercados e gosto de café e gosto até de chuva. To fazendo o que longe de lá até hoje, né?

  2. Nanda disse:

    Vai já pra lá, Iara! Aposto que vai curtir muito = )
    Você tem que ver de perto esse prédio esquisito (com todo o respeito). Tem uma exposição mais legal que a outra no EMP!

  3. Leila disse:

    A tal Space Needle me lembrou a torre do Altavila… E a parede de chicletes é mais do que “ligeiramente” nojenta, pô.

  4. […] O site City Pass também tem passes para outras 9 regiões dos Estados Unidos (Atlanta, Boston, Chicago, Hollywood, Houston, Filadélfia, San Francisco, Seattle e Southern California) […]

  5. Esse post foi listado entre os melhores de 2012. Descubra quais foram as outras grandes viagens do blog clicando aqui.

  6. […] Adoro aqueles bairros que são famosos por seus mercados tradicionais mas que, na verdade, abrem espaço para algumas das lojas mais moderninhas da cidade. Toronto, no Canadá, também tem um lugar assim. […]

  7. […] Leia também: >> Em Seattle, um museu dedicado à música e à ficção científica […]

Exibir Comentários