Na cidade em que a gente mora, já é uma coisa automática: a gente sabe direitinho quando deve ou não dar gorjeta e que valor deixar. Mas quando a gente está viajando, a gorjeta pode ser motivo de gafes, pois é um hábito que varia muito conforme a cultura de cada país.

Há países em que a gorjeta não é esperada (dizem que os japoneses até se ofendem!), enquanto em outros locais o turista escuta desaforos se não deixar uns trocados.

foto: yanific

foto: yanific

Quando viajei para Nova York, lembro de ter levado um susto com o impacto que as gorjetas tiveram no meu orçamento. Eu não estava contando com os dólares que seriam distribuídos todos os dias no hotel, no taxi, nos restaurantes etc. Estamos falando de ao menos 15% do valor consumido em cada refeição!

Os americanos estão acostumados a dar “tips” o tempo todo. Até nos bares, é comum deixar 1 dólar a mais no balcão para cada bebida. Agora, em qualquer que seja o país, sempre trato de trocar as notas altas de dinheiro por notas menores e também guardo as moedas para essas situações.

Na Argentina é que acontece uma coisa engraçada: como em geral não é permitido incluir o serviço no pagamento com cartão, às vezes os garçons trazem troco para a sua gorjeta! rs

A Folha de S. Paulo preparou um infográfico que serve como um pequeno guia de gorjetas no exterior, com 20 países entre os mais visitados por brasileiros. O site Tip This Much também é uma dica legal para ajudar a definir quanto dar de gorjeta nos principais destinos do mundo, e tem até uma calculadora para fechar a conta!

Gorjetas no exterior - Quanto dar de gorjeta em 20 paises - infografico

Dicas pra não ter dor de cabeça na hora de fechar o pacote com uma agência de viagens

 

Share

4 Comentários

Exibir Comentários