Caminhos de Santiago: uma aventura na Espanha

Eu achava que os Caminhos de Santiago eram um roteiro feito essencialmente por fiéis católicos, até que assisti a esse vídeo do Victor Iemini e percebi o quanto a cultura backpacker está presente. Ele fez um documentário de pouco mais de 5 minutos sobre a aventura que o levou a Santiago de Compostela, na Espanha, e deu dicas super úteis para quem também sonha em ir para lá.

É claro que o vídeo me deu vontade de viajar, então entrei em contato com o Victor para entender um pouco mais sobre essa experiência que ele definiu como uma viagem física e espiritual. Toda viagem é uma jornada – mas essa, em particular, leva a definição ao pé da letra.

Os Caminhos de Santiago são rotas que começam em diversos pontos da Europa e que se convergem no norte da Espanha. A principal delas começa na cidade de Saint Jean Pied de Port, no Sul da França – e foi essa que o Victor fez, percorrendo 772 km ao longo de 33 dias. Nada impede que se escolha um ponto mais próximo para iniciar o caminho, mas certamente os percursos mais distantes são mais ricos.

“Não sou católico e nem mesmo cristão, mas para mim o Caminho foi uma experiência muito intensa. Já no primeiro dia o pobre, o rico, o velho, o falido, o europeu e o estrangeiro se tornam iguais, ninguém é mais nem menos que ninguém, afinal pelos próximos 30 dias vamos percorrer as mesmas trilhas, conhecer as mesmas cidades.

Após algumas semanas, a gente esquece da vida como era antes, a caminhada matinal de 25 km cria um sentimento de contentamento, como a de terminar uma importante tarefa, e isso é uma sensação coletiva. Essa dose de auto-estima e humildade pacifica a mente, ajuda a ver a vida de outra perspectiva”.

Caminhos de Santiago - Victor Iemini cruzando os Pirineus
Victor cruzando a cordilheira

Quando fez a viagem, em junho de 2012, Victor morava em Madrid. Ele pegou um avião para Pamplona, na Espanha, e de lá foi de ônibus para San Jean Pied de Port. A caminhada só começou no dia seguinte, depois de tirar a Credencial do Peregrino, que é uma espécie de passaporte que se deve apresentar em cada parada.

Somente aqueles com carimbos que comprovem uma trajetória de ao menos 100 km podem ter direito à “Compostela”, que certifica a conclusão do percurso.

Caminhos de Santiago - Fronteira entre Franca e Espanha
Entre Franca e Espanha

Reza a lenda que basta seguir o traçado das estrelas para chegar ao túmulo de São Tiago, em Santiago de Compostela (li que a origem do nome é exatamente essa: São Tiago do Campo das Estrelas). Não sei se é verdade… Mas de qualquer forma há placas, setas e conchas amarelas indicando todo o caminho.

O Victor diz no vídeo que o ideal é começar a andar de manhã bem cedo, antes das 8h. Assim se chega à próxima cidade no início da tarde, quando os albergues abrem para receber os peregrinos, e ainda sobra um tempinho para conhecer o local e socializar com os demais peregrinos.

É uma viagem no tempo pelo interior da Europa, com igrejas e construções medievais por todo o percurso. Eu fiquei com vontade de conhecer o Palácio Episcopal de Astorga, obra de Gaudí.

Há quem faça o roteiro de bicicleta, mas Victor preferiu o ritmo da caminhada para ir conversando com outros peregrinos, apreciando a paisagem e a natureza pelo caminho.

“Se eu quisesse, podia sair correndo atrás de ovelhas que estavam pastando, invadir uma plantação de trigo, ou seguir o barulho da água para encontrar um rio… Diversas vezes vi cobras, lagartos, sapos e flores que nunca tinha visto antes” – um prato cheio para quem gosta de fotografar.

Algumas dicas do vídeo são fundamentais, como o uso de um cajado para dar apoio e aliviar o peso sobre as pernas, além de tênis ou botas apropriados para trekking. Também é importante sempre levar uma garrafa água e se proteger do sol. Diz o Victor que as longas caminhadas sob o sol forte chegam a provocar alucinações após algumas horas…

Caminhos de Santiago - Os Pirineus
Os Pirineus

Não é preciso dizer que a preparo físico é indispensável, né? Logo no primeiro dia já são 20 km ladeira a cima para cruzar os Pirineus, montanhas que dividem França e Espanha.

Para passar a noite, cada um deve usar seu saco de dormir. A hospedagem é barata (em torno de 4 a 8 euros) e as opções incluem albergues paroquiais e municipais, além de hostais privados tipo Bed&Breakfast. É comum a presença de hospedeiros voluntários, que já fizeram o caminho anteriormente e sentiram uma conexão especial com aquele lugar.

caminho-de-santiago-mochileiros-na-estrada
Peregrinos no caminho

As reservas não são possíveis nos albergues municipais, que são os mais baratos e de boa qualidade. O mais comum é que os peregrinos recorram à lista fornecida pelo centro de informações em Saint Jean Pied de Port ou aos seus guias de bolso (que variam um pouco conforme os autores e os países em que foram editados).

Depois de um mês inteiro nessa jornada, a chegada à cidade de Santiago é celebrada com uma missa na Catedral. A tradição manda subir atrás do altar e abraçar a estátua do santo, o Apóstolo Tiago, a que a peregrinação homenageia.

Além do site da Associação Brasileira dos Amigos do Caminho de Santiago, indicado no vídeo, alguns outros podem ajudar nos preparativos para o roteiro, como o Camino Adventures, os Guardiões do Caminho de Santiago e o Portal Peregrino.

¡Buen camino!

9 comentários

  1. Gente, que máximo! Acho que não tenho coragem (nem condições físicas) de fazer uma caminhada tão longa, mas deve ser uma grande experiência!

  2. Adorei seu blog, muito util e com informacoes importantes sobre o caminho. Em setembro de 2014 fiz o meu ultimo caminho e como varios amigos me perguntam o que levar na mochila criei um video mostrando tudo o que levei http://bit.ly/1LRrBum
    Espero que seja util, e tambem falo do que nao levarei na proxima vez. Isso é importante considerando que quanto menos pesa a mochila melhor….
    Continue seguindo seu blog. Abracos.

Deixe uma resposta