Aruba - Mar azul do Caribe - Dicas de viagem no blog Vontade de ViajarAruba é um ótimo destino para uma viagem de férias em família – foi assim que conheci um pedacinho do Caribe, com o mar mais azul que já vi nessa vida. Passei uma semana com a minha família em um resort e conseguimos um preço melhor do que no Nordeste do Brasil.

A pequena ilha próxima à costa da Venezuela tem uma história recente, tornou-se um estado autônomo apenas em 1986. Antes disso, era colônia holandesa – e ainda guarda vínculos com a antiga metrópole: o idioma holandês é mantido no currículo escolar e a Rainha Beatriz dos Países Baixos é representada localmente por um Governador, embora Aruba tenha suas decisões políticas tomadas por um Primeiro Ministro eleito.

Arquitetura holandesa

Arquitetura holandesa

Mas a impressão que eu tive é que Aruba agora é colônia americana. Os americanos são a maioria dos turistas, o dólar é comumente aceito (apesar de a moeda oficial ser o florin) e a ilha conta com um terminal de aeroporto exclusivo para voos dos EUA. Nos shoppings, a gente encontra todas as grandes marcas americanas – Victoria’s Secret, Tommy Hilfiger, Ralph Lauren… Tudo mais ou menos nos mesmos preços dos Estados Unidos. As compras são um grande atrativo para muitos turistas que vão para Aruba e é possível encontrar brasileiros trabalhando em várias lojas, então a língua não costuma ser um problema. Lembre apenas que as lojas fecham entre 13h e 14h para o almoço.

Centro de Oranjestad

Centro de Oranjestad

Como vocês sabem, eu sou mais adepta de passeios culturais e achava mais interessante reparar nos prédios de arquitetura holandesa no centro da cidade do que sair em busca de promoções. Mas tem duas coisas que você não pode deixar de comprar por lá: o hidratante Aruba Aloe e a cerveja Balashi Beer. Esses são os produtos arubanos de exportação e eles têm muito orgulho de produzi-los. Se quiser conhecer mais, é possível fazer visitas guiadas pelas fábricas (o tour da Aruba Aloe é grátis e o tour da Balashi Beer custa $ 6 e inclui um drink, mas não espere um museu de alto padrão como o da Heineken em Amsterdam ou da Guiness em Dublin; a fábrica da Balashi tem uma estrutura bem simples).

Lagartos e iguanas estão por toda a ilha

Lagartos e iguanas estão por toda a ilha

Há um ônibus que leva da região dos hotéis a Oranjestad, capital de Aruba, onde se concentram os shoppings (a ilha é pequena e tudo é relativamente perto). A passagem custa $ 1,50 e a linha circula até as 21h.

A viagem não teria sido a mesma sem as crianças: minha afilhada, que na época tinha 8 anos, e minha irmã, que tinha 10. Não preciso dizer que elas adoraram o sistema all-inclusive: o hotel tinha sorvete e pizza a qualquer hora e isso acaba com qualquer pirraça.

Caiaque na praia

Caiaque na praia

O resort oferece muitas opções de atividades – caiaque e snorkel para usar na praia, mesa de sinuca e ping-pong para quebrar um galho em dias de chuva… E, a cada noite, havia uma programação: show de salsa, malabarismo, feira de artesanato local, e por aí vai. Alguns serviços são pagos à parte e não são baratos, como o spa.

As refeições fazem parte do pacote. Normalmente, há um buffet livre no horário de almoço e alguns restaurantes de diferentes especialidades que abrem para o jantar. Mas se por um lado o sistema all-inclusive garante um conforto, por outro lado não dá pra ficar limitado ao resort e é ilusão achar que não haverá gastos extras.

Pôr-do-sol na praia do Divi Aruba Hotel

Pôr-do-sol na praia do Divi Aruba Hotel

Se você for passar um dia no Centro, não vai valer a pena voltar para almoçar no hotel e você provavelmente vai entrar em algum restaurante de redes americanas como Texas de Brazil, Wendy’s, Burger King, Taco Bell, Hooters e tal.

Os passeios turísticos por Aruba também são bem caros, mas são divertidos e valem a pena! O sightseeing tour pela ilha é interessante para ter alguma ideia de como é a vida do lado de fora dos hotéis. O roteiro inclui paradas em pontos como a California Lighthouse (farol no extremo norte da ilha), a pequena e pitoresca capela Alta Vista e o “Oude Molen” (moinho holandês construído em 1804 e levado para a ilha em 1906).

Outro ponto legal é a Natural Bridge em Boca Andicuri. Sabe o ditado “água mole em pedra dura”? É exatamente isso! O mar é super agitado na parte norte da ilha e a erosão das pedras formou sete “pontes naturais”. A maior e mais famosa se partiu em 2005, mas ainda há essa outra bem interessante.

Enquanto isso, do outro lado da ilha, a água é super calminha. A Baby Beach, bem ao sul de Aruba, parece uma grande piscina. A água não passa de 1 metro e meio de profundidade e é um lugar ótimo para as crianças aprenderem a usar o snorkel , pois também há muitos peixes coloridos.

Mergulho de Snorkel

Mergulho de Snorkel

Saindo do centro de Oranjestad, com roteiro de 2 ou 4 horas, há passeios de escuna até Boca Catalina, onde a gente pode mergulhar em alto mar e fazer snorkel para observar peixes, corais e os destroços do navio alemão Antilla, que estão próximos à superfície. Dependendo das condições da água e do vento, a visibilidade chega a 30 metros. O navio cargueiro, que tinha mais de 120 metros, estava ancorado em Aruba para suprir a frota que estava na região do Caribe durante a II Guerra Mundial. Mas quando o capitão se viu obrigado a se render à marinha holandesa, em 1940, preferiu afundar sua embarcação do que entregá-la aos inimigos.

Destroços de um navio naufragado

Destroços de um navio naufragado

Outra experiência legal é o passeio de submarino, que dura cerca de 1 hora. Tivemos a chance de ver o fundo do mar (a 45 metros de profundidade), onde há cardumes ainda mais coloridos. As meninas adoraram!

Se você também for viajar com crianças e elas gostarem de bichos, outras opções de passeio podem ser a Fazenda de Avestruz e o Criadouro de Borboletas. Há também uma ilha particular chamada De Palm Island, que é um resort para passar o dia todo. As atrações que mais chamam atenção são o parque aquático e o “sea trek”, que dá a oportunidade de andar no fundo do mar, com um capacete de oxigênio. Não se esqueça de levar uma câmera à prova d’água!

A simpática árvore divi-divi, que tem o tronco curvado na direção sudoeste, é um ícone da flora local, mas não se vê facilmente nas praias. Andamos por horas pela areia da praia até chegarmos a ver duas pequenas divi-divi na Eagle Beach. Parece um bonsai em grande escala, uma graça.

Não se assuste se o céu fechar de repente. O tempo muda rapidamente por lá e a chuva forte porém logo passa e o sol volta a aparecer. A boa notícia é que Aruba normalmente fica fora da rota dos furacões que rondam a América do Norte e o Caribe.

Para encerrar a viagem, vale incluir no roteiro as cavernas localizadas no Arikok National Park. A Guadirikiri é conhecida por seus muitos morcegos, a Fontein Cave exibe desenhos rupestres e a Huliba também é conhecida como “Túnel do Amor” por ter uma abertura em formato de coração logo na entrada. Se quiser explorar os caminhos entre as estalagmites e estalactites, é bom levar uma lanterna.

Share

20 Comentários

  1. Nanda, Aruba foi inesquecível!! Sem dúvida uma das melhores viagens que eu já fiz!! Tudo é muito lindo e impressionante!!!! Foi chocante o passeio de submarino (que foi o meu preferido)!! Saber que você esta no fundo do mar mas você esta protegido por um carro sem roda em baixo d’água! Como seria possível uma criança de 8 anos (a minha idade na época) não ficar impressionada coma quantidade de peixinhos coloridos e barcos no fundo do mar!?!? Admito que no dia me senti uma sereia. Mesmo sem cauda, só sentir que eu estava ali, embaixo das lindas e claras águas do caribe vendo tudo aquilo me fez me sentir muito bem!!!

    Também lembro do passeio de barco que nós fizemos… Quando entramos eu estava com tanto medo do barco que eu peguei um chapéu e enfiei na minha cara, mas no final tirei o chapéu e aproveitei a vista linda do mar!!

    Você lembra do “ataque das pizzas”, Nanda? Para quem não faz a minima ideia do que eu estou falando, é que todas as vezes que a gente comia pizza no hotel, um pedaço da pizza caia em cima de um de nós!! Era TÃO engraçado!!

    Sobre as apresentações noturnas, eu lembro do cara que estava fazendo maluquices com fogo e ele chamou uma mulher (que ia se casar) pra ela pra ir lá ”brincar” com fogo e ela falou que não pq tinha medo do fogo pegar no cabelo dela e estragar o penteado do casamento!! Daí ele falou: “ninguém aqui te conhece, ninguém liga”. Foi ótimo!!!!!!!!!!!!!!!!!

    Esse post me trouxe ótimas lembranças!!!! Obrigada, Nanda!!! Amo seus posts!!!!!!!

  2. Eu disse isso, Juju! Nem você nem Vivi são pirracentas! Agora, eu queria ver sorvete e pizza darem jeito naquele menininho húngaro-brasileiro-escocês num dia que ele estivesse atacado… 🙂

  3. Juju, concordo… A viagem foi ótima e a gente não fazia pirraça… 🙂
    Iv, infelizmente nesse momento da vida do Laszlo ele não gosta nem de mar, nem de pizza e nem de sorvete. Então acho que Aruba não daria um jeito nele, acho que uma confeitaria (por causa do chocolate) poderia dar certo ou talvez uma padaria (por que esse menino só sabe comer pão)…
    Obrigada Iv!!!!!!!!!! Me sinto honrada… Bjs

  4. Adorei “viajar” com vocês por Aruba, ainda que só pelas fotos e posts. Foi mesmo um presentão pra Vitória e fiquei impressionada com o comentário muito bem escrito 🙂
    Quanto ao húngaro-escocês-brasileiro, Ivson, acho que nem Aruba dá jeito ainda… Ele tem pavor de praia (o que não deve melhorar muito aqui na Escócia) e, como a Vitoria comentou, não gosta de sorvete nem de pizza. Talvez Gramado com as fábricas de chocolate??

Exibir Comentários