A arte uruguaia e o Parque Rodó em Montevidéu

Passada a visita obrigatória à Ciudad Vieja de Montevidéu, é hora de descobrir que outros encantos tem a capital uruguaia!

O Parque Rodó foi uma boa surpresa. Depois de passar por alguns jogadores de tênis e uma turminha de crianças que brincavam ao ar livre, chegamos a um pequeno castelo que abriga a biblioteca infanto-juvenil. Ao lado, uma estátua do lendário arqueiro Guilherme Tell e um lago artificial com simpáticos patinhos.

Montevideu - Parque Rodo em dia de sol
Dia de sol no Parque Rodó

Em dias mais quentes deve ser legal passear de pedalinho por ali, mas naquela fria tarde de sexta, ninguém se aventurou.

Em um dos cantos do Parque Rodó, perto da Fuente Le Source, tem uma galeria de fotografia ao ar livre que é um charme – tem sempre uma exposição interessante e rapidinha de ver. Seguindo para o sul, você encontra um parque de diversões com roda gigante, casa do terror e outros brinquedos que dão saudade de ser criança 🙂

Montevideo - Entrada do Museu de Artes Visuais no Parque Rodo (foto do blog Vontade de Viajar)
Museu de Artes Visuais

Aproveitamos para visitar o Museu de Artes Visuais, que também fica dentro do próprio Parque Rodó.

A exposição é muito boa, um ótimo ponto de partida para a gente se familiarizar com a arte uruguaia. Eu, que adoro arte moderna, virei fã do José Pedro Costigliolo, um dos primeiros artistas não-figurativos do país. E gostei bastante do trabalho da María Freire também.

Montevideu - Museu de Artes Visuais no Parque Rodo
Obras do artista uruguaio José Pedro Costigliolo

Como o museu não é muito grande, dá para apreciar tudo sem pressa. No segundo andar, onde ficam as exposições temporárias, vimos obras da artista contemporânea Rita Fischer e da dupla Carlos Musso e Seveso.

Quem se interessar em conhecer a história e a produção artística do país mais a fundo, pode visitar os museus Torres Garcia, que fica na Ciudad Vieja,  e o Juan Manuel Blanes, perto do Jardim Botânico. Tem algumas obras deles dois no Museu de Artes Visuais também, já dá pra ter uma ideia do estilo de cada um.

Montevideo - Museu de Artes Visuais no Parque Rodo (foto do blog Vontade de Viajar)
Museu de Artes Visuais em Montevidéu

Aliás, o Jardim Botânico foi outro ótimo passeio. É menos impressionante que o Jardim Botânico do Rio de Janeiro, mas a visita guiada fez valer a pena! O entusiasmado Gustavo, que foi nosso guia, nos contou curiosidades sobre as plantas expostas lá – umas usadas na culinária, outras na medicina, e algumas ainda com forte simbologia em diferentes culturas do mundo.

Minha viagem foi em julho, pleno inverno, mas demos sorte de pegar o céu azul. Imagino que os cenários sejam ainda mais charmosos no verão, com as árvores mais folhadas e os parques mais movimentados.

Montevideo - Museu e Jardim Botanico (foto do blog Vontade de Viajar)
Jardim Botânico de Montevidéu

Saindo dali, ainda demos uma passadinha para ver o Jardim Japonês que fica nos fundos do Museu Blanes. Pequeno, mas bonitinho. Pena que o museu mesmo estava fechado quando a gente foi…

Um ponto super legal é que quase todas essas atrações são gratuitas – apenas o Museu Torres Garcia é pago, e o ingresso custa razoáveis 100 pesos (uns R$ 12).

Montevideo - Museu Blanes (foto do blog Vontade de Viajar)
Museu Blanes e seus jardins

Aos domingos, tem uma feirinha no Parque Rodó até as 15h, com roupas, acessórios de frio, coisa e tal.

Quem gosta de feiras também não pode perder a da rua Tristán Narvaja, que acontece no mesmo dia e tem de tudo: muitos livros, antiguidades, frutas, legumes, e até filhotes de bichinhos de estimação.

Leia também:

À pé pelo Centro de Montevideo
Uma bela vinícola uruguaia

7 comentários

  1. Fui ao parque Rodó no dia das crianças do Uruguai (segundo domingo de agosto, acho). Mesmo no inverno, estava cheio de gente, crianças brincando com os brinquedos novos etc. Passei horas só andando por lá. Vontade de voltar no verão.

Deixe uma resposta