mendoza-vinicolas-dicas-de-viagem-no-vontade-de-viajar

Visitar as vinícolas está logo no topo da lista quando a gente planeja o que fazer em Mendoza, mas como chegar até elas? Não vale a pena alugar carro: o caminho para as vinícolas não tem sinalização, o GPS não funciona direito e não é boa ideia dirigir depois de beber vinho, né…

Mendoza - Paisagem da estrada

Estrada em Mendoza

Fechamos um pacote com o Ezequiel, um guia particular que nos levou para as regiões de Luján de Cuyo, Maipú e Alta Montaña. Para o primeiro dia, em Luján de Cuyo, ele sugeriu um roteiro que incluía as bodegas Catena Zapata, Achaval-Ferrer e Ruca Malen, onde almoçamos.

A Bodega Achaval-Ferrer é mais bacana de todas, pois eles permitem provar vinhos desde a primeira semana de barrica até 2 anos – e assim você vai acompanhando o processo de maturação. Achei fantástico, mas os vinhos lá são caríssimos.

Mendoza - Barris de vinho Malbec argentino

Barris de vinho Malbec

As bodegas de Maipú, por outro lado, me decepcionaram um pouco. Visitamos a Trapiche e Zuccardi, mas não gostei da degustação. Aproveitamos para comer no restaurante Casa de Campo, que oferece comidas típicas de Mendoza, e visitamos a Olivícola Pasrai, uma fábrica de azeite de oliva, que é outra especialidade da região.

A delicatessen Almacén del Sur, que vende pastas e geleias feitas de produtos orgânicos, também deve ser interessante, mas não deu para incluir no nosso roteiro.

Mendoza - Degustacao de vinho

Degustação de vinhos

Três dias de visita a bodegas pareceram um exagero – apesar de aprender um pouco em cada uma, no final o processo fica um pouco repetitivo. Então tocamos o Valle de Uco por um dia spa Termas Cacheuta, onde há várias piscinas de águas termais, uma mais quente que a outra, e tem aquele lance de passar lama no corpo também. Foi uma experiência interessante, embora esse tipo de coisa não seja muito meu estilo…

Mendoza - Vista montanhas Argentina

Vista da cordilheira

No final, fiquei com a impressão de que devia ter ido no Valle de Uco, onde o Ezequiel havia sugerido as bodegas Pulenta Estate, Salentein e La Azul. À noite, em compensação, jantamos no maravilhoso restaurante Azafrán – bonito, com comida muito boa e ótimas escolhas de vinhos.

Para fechar a viagem, fomos para Alta Montaña, onde visitamos os distritos de Potrerillos e Uspallata, vimos a Puente del Inca e andamos a cavalo no Parque Provincial Aconcágua, onde fica o monte conhecido como Teto das Américas, com seus 6.962 metros de altitude.

A ideia de fazer os passeios com um guia foi boa porque ele faz todas as reservas  e sabe otimizar o itinerário. O Ezequiel (que fala um português bastante bom) tem uma pequena empresa com uns 5 guias – todos eles foram ótimos com a gente, sempre pontuais, simpáticos, e com bons carros.

Cada dia de tour custava entre US$ 140 e US$ 180, exceto pela Alta Montaña, que era US$ 240 (os preços são pelo carro, e não por pessoa). Se fechar um pacote, eles também podem pegar e levar no aeroporto.

Mendoza - Plantacao de parreiras

Plantacao de parreiras

Os preços das visitas nas bodegas variam de $ 50 a $ 100 pesos por pessoa, dependendo dos vinhos a serem degustados, e os almoços (que são excelentes!) ficam entre $ 250 e $ 350.

Se quiser fazer o roteiro por conta própria, lembre que é preciso reservar horário em todos os locais. Há diversas agências no centro de Mendoza que oferecem tours organizados pelas vinícolas também.

Mendoza - Uvas na vinicola argentina

Uvas argentinas

Outras bodegas bem cotadas são a Decero, a Tempus Alba, e a Monteviejo, além do Cavas Wine Lodge, que tem um restaurante famoso. No centro de Mendoza, é possível degustar vinhos de 50 bodegas da região no bar Vines of Mendoza (calle Espejo 567).

Mendoza - Marisa com uvas

Uvas e vinhos ♥

Na maioria das vezes não vale a pena comprar o vinho na Bodega, é melhor deixar pra ir numa vinoteca, que tem preços iguais (às vezes até menores) e mais variedades. No avião de volta, cada pessoa pode levar até 6 vinhos na bagagem de mão e mais 6 na mala despachada ; )

¡Buen viaje!

Share

7 Comentários

  1. Carolina disse:

    Adorei!!! Todas as dicas anotadas!

  2. Fabi disse:

    Eu já tinha ouvido falar de Mendoza, mas só sabia do roteiro dos vinhos… Parece que é mesmo uma bela viagem!

  3. […] em qualquer tipo de guia ou roteiro por Portugal. A preferida da Marisa (que, como vocês sabem, entende de vinho) é a Real Compania Velha, que é a única 100% portuguesa. Super linda e pitoresca. Perto dali, […]

  4. […] Leia também: >> A viagem do Evandro pelo Sri Lanka. >> As vinícolas de Mendoza, na Argentina. […]

  5. […] bem significa comer caro. Os nossos amigos Ivan e Marisa, que já escreveram aqui no blog sobre Mendoza e Machu Picchu, deram ótimas dicas de onde comer em Nova York, com uma lista de 7 delícias […]

  6. Ricardo disse:

    Eu queria deixar minha experiência inesquecível em Mendoza, eu estive com minha esposa de lua de mel faz um mês. Em nossa estada conhecemos as vinicolas Norton, Kaiken, Ruca Malen, fizemos um aula de culinária na vinícola Dominio del Plata e depois passamos um dia no spa Hamman. Cada lugar conhecido, cada atividade tinha seu charme, foi um roteiro variado e uma experiência muito boa!

  7. Flavia disse:

    Tive oportunidade de conhecer Mendoza um mês atrás. O que mais adorei nessa cidade foram as paisagens, a imponente montanha, seus rios clarinhos.
    Tive o prazer de visitar a vinícola Zuccardi, fizemos um tour na vinícola, com degustação de 4 vinhos, adorei!! Além disso conheci Belasco de Baquedano onde foi nosso almoço, gostoso demais!!

Exibir Comentários