Livrarias históricas pelo mundo

Livrarias não são apenas lojas, são uma porta de entrada para mundos diversos, uma viagem a outras épocas, um convite a novas ideias, uma janela para espiar romances ou desvendar mistérios. Algumas cidades têm livrarias que contam histórias para além de seus livros e valem entrar no roteiro de viagem!

Lello & Irmão, no Porto

Rua das Carmelitas, 144

(photo by delviking on flickr)

O belo prédio construído em 1906 no centro do Porto para abrigar a livraria dos irmãos José e António Lello causou grande impacto no meio cultural da época. A fachada de estilo neogótico tem duas figuras femininas que representam a arte e a ciência. Por dentro, um ar de art nouveau com ornamentos de gesso pintado que imitam madeira e a divertida escadaria vermelha cheia de curvas, marca registrada da Lello.

É considerada uma das 3 livrarias mais bonitas do mundo, ao lado da holandesa Polare, na cidade de Maastricht (antes conhecida como Boekhandel Selexyz Dominicanen), e da argentina El Ateneo, em Buenos Aires. Mas a Lello & Irmão foi a única entre elas a ter um prédio desenhado para si; enquanto as outras duas foram convertidas a partir das instalações de uma igreja e um teatro.

Shakespeare and Company, em Paris

37 rue de la Bûcherie 75005

Livraria - Paris - Shakespeare & Co (photo by booksexyreview)

Em frente à Catedral de Notre Dame está essa instituição tradicionalíssima de Paris, mas que trabalha com publicações em inglês. Abriu em 1951, como um tributo à livraria de mesmo nome que funcionava na Rue de L’Odéon na década de 1920, quando Paris era uma festa.

Ernest Hemingway, Scott Fitzgerald e toda a turminha da literatura modernista anglo-americana frequentavam a Shakespeare & Co. original e a tornaram um ícone da época. A dona da livraria foi a primeira a bancar a publicação de Ulysses, obra de James Joyce que havia sido censurada no Reino Unido e nos EUA.

A primeira Shakespeare & Co. fechou em 1940, durante a ocupação nazista. Hoje, nesta segunda edição do clássico, podemos ter um gostinho do ambiente que inspirou tantos grandes escritores ao andar por entre as caóticas paredes cobertas de livros, até chegar ao piano do segundo andar. Seus eventos de poesia, workshops e festivais ainda reúnem figuras da intelectualidade europeia e americana.

El Ateneo, em Buenos Aires

Av. Santa Fe, 1860

(foto do blog Vontade de Viajar)

A livraria El Ateneo é um dos grandes encantos da capital argentina. Construído em 1919, o Teatro Grand Splendid foi transformado em cinema antes de se tornar a livraria que é hoje, ainda com suas galerias e cortinas de veludo originais do antigo teatro de Buenos Aires. O afresco da cúpula, pintado pelo artista italiano Nazareno Orlandi, completa essa que é uma das maiores e mais lindas livrarias do mundo.

Do outro lado do Rio de la Plata, no Uruguai, vale dar uma passadinha pela discreta Linardi y Rissio, no bairro da Ciudad Vieja de Montevidéu (Calle Juan Carlos Gómez, 1435). Suas altas estantes cheias de livros também receberam a visita de grandes escritores latino-americanos, como Pablo Neruda e Mario Vargas Llosa.

E você, também gosta de viajar entre livros? Quais são as suas livrarias favoritas no mundo?

Leia também:

O palácio de Buenos Aires que foi inspirado na Divina Comédia
O roteiro de Eça de Queiroz pelos palácios de Sintra, em Portugal

4 comentários

Deixe uma resposta


Close