Contribuição do Guilherme, que também escreveu sobre Angkor Wat.

Atlanta - Centennial Olympic Park (foto do blog Vontade de Viajar)Atlanta não está entre os grandes destinos turísticos dos Estados Unidos. Brasileiros geralmente vão parar lá por dois motivos: negócios ou escala de voo. O meu caso foi o primeiro, passei 5 dias em uma conferência e, aos poucos, fui descobrindo o que a cidade oferecia para as horas livres.

Muitos dos principais pontos turísticos de Atlanta se concentram em torno do Centennial Olympic Park, que duas décadas atrás não estava ali. Quer dizer, o turismo em Atlanta é coisa muito recente – aquela era uma área desvalorizada, com diversos terrenos baldios e prédios abandonados.

O parque foi um projeto financiado por doações em meados da década de 90. As pessoas que quisessem ajudar poderiam comprar um tijolo por US$35,00 e mandar gravar uma mensagem de até 30 caracteres nele. É legal observar os 800 mil tijolos usados na construção e ver quanta gente ajudou. Hoje, a região do Centennial Park é muito bem cuidada e tem uma boa agenda de shows e eventos.

Atlanta - Tijolos no Centennial Park (foto do blog Vontade de Viajar)O parque todo pode ser visto de cima pegando uma carona na roda gigante Skyview, que fica logo ao lado. De dia, no verão, as crianças se divertem nas fontes que fazem show de águas.

A criação do parque despertou interesses de investidores e outros pontos turísticos foram surgindo ao redor. O meu favorito é o Georgia Aquarium, um dos maiores aquários do mundo, com mais de 500 espécies e várias atrações, incluindo show de golfinhos e atividades para interagir com os bichos. O aquário é enorme e as galerias são muito bonitas, e bem cuidadas. Alguns dos tanques são tão grandes que a gente se sente pequeno diante de um tubarão-baleia de 9 metros que passa nadando calmamente rente ao vidro. O mesmo pode ser dito da raia que, de tão grande, chega a bloquear todo o vidro do aquário por uns breves segundos.

Um pouco mais excêntrico, o museu World of Coca-Cola se encontra do lado oposto do parque. Infelizmente não consegui tempo para visitar o museu, mas os amigos que foram garantiram que é uma grande viagem pelos mistérios da fórmula da Coca-Cola e suas campanhas de marketing que fizeram história, incluindo aqueles clássicos anúncios de época.

Para os interessados em jornalismo e tecnologia, a sede da CNN também fica ali perto e oferece visitas guiadas com vídeos sobre a história da emissora.

Atlanta - sede da CNN (foto do blog Vontade de Viajar)Outra coisa que gostei muito foi o High Museum of Art. O acervo permanente do museu é bastante variado, com galerias que vão do Renascimento europeu às obras contemporâneas americanas, além de salas dedicadas a artes decorativas e fotografia. Dei sorte de estar em cartaz uma exposição temporária dos principais artistas holandeses do século XVI. O audio guide dessa mostra tinha uma versão especialmente para crianças, com mistérios para serem resolvidos reparando em detalhes das pinturas examinadas – apenas em inglês, claro, mas muito interessante.

As noites de Atlanta não são muito boas. O tipo de música varia de boate para boate, mas espere ouvir rap e hiphop. Os DJs parecem ter um péssimo hábito de interromper a música para falar coisas como “coloquem suas mãos para cima”… e fazem isso diversas vezes ao longo da noite, achei bastante irritante. Uma das boates mais famosas é a Opera, que tem uma arquitetura diferente e o espaço amplo.

Cidade natal de Martin Luther King, Atlanta foi um dos principais palcos da luta pela igualdade racial nos EUA, na segunda metade do século XX (clique aqui para ver o famoso discurso “I have a dream” na íntegra). Até hoje a questão da diferença racial ainda se faz presente no dia-a-dia da cidade. Nos restaurantes e hotéis, os funcionários são quase sempre negros e os clientes quase exclusivamente brancos. Talvez esse abismo social seja o responsável pela demonstração constante de descontentamento por parte de muitos dos atendentes.

Para conhecer a história de Martin Luther King e sua causa, vale dedicar umas boas horas ao Parque Nacional que reúne a casa de sua família, a igreja em que ele era pastor e o King Center, onde há um grande acervo de seu trabalho e um memorial. Você encontra outras opções de museus no site Atlanta History Center.

Leia também:
>> Curtindo Chicago adoidado
>> O melhor de San Francisco 

Share

7 Comentários

  1. Leticia Lima disse:

    Mas diz aí você conseguiu resolver todos os mistérios do audio guide especial para crianças? 🙂

  2. Guilherme disse:

    Eu fiz só o primeiro mistério. Meu tempo tava meio curto no dia. Mas era bem engraçadinho.

  3. Nanda disse:

    Achei legal saber um pouco mais sobre Atlanta! Era um lugar pouco procurado, mas acho que é um grande exemplo de como os EUA conseguem criar destinos turísticos onde não havia…

  4. Claudinha disse:

    hum bom aspecto essa breja Hop Lanta!

  5. Ricardo disse:

    muito bom o post, adorei o blog, parabéns!

  6. Ruben disse:

    Caro amigo! desde já os meus parabéns pelo seu blog, acho-o muito útil para dar a “conhecer” bons e novos destinos. Tenho uma pergunta para lhe fazer, e não sei se me poderá responder, mas eu irei viajar de São Paulo para Lisboa com escala em Atlanta durante praticamente um dia inteiro! gostaria de saber se uma vez lá será possível sair do aeroporto e visitar a cidade ou terei que ficar retido a espera? muito obrigado e continuação de um bom trabalho

    • Nanda | Vontade de Viajar disse:

      Oi, Ruben! Que bom saber que você gosta do blog, obrigada!
      Acredito que seja possível visitar a cidade, sim. Cidadãos portugueses são isentos de visto para os EUA, então basta você desembarcar e passar pela alfândega normalmente.
      A região do Centennial Park é uma boa referência para você conhecer os principais atrativos da cidade. O trajeto de taxi a partir o aeroporto é de apenas 20km e deve custar em torno de 35 dólares.
      Lembre-se de que deve estar de volta ao aeroporto com no mínimo 2 horas de antecedência do horário do voo.
      Um abraço e boa viagem!

Exibir Comentários