Muitas cidades do Sudeste Asiático têm mercados populares que começam a funcionar no fim da tarde e seguem noite adentro com barraquinhas de todo tipo. Eles são a principal atração noturna das pacatas cidades da região e reúnem centenas de viajantes com seus artesanatos, comidinhas e entretenimento.

Night Market - O mercado noturno de Luang Prabang no Laos (foto do blog Vontade de Viajar)O night market de Chiang Mai me pareceu um dos maiores e foi onde conseguimos as melhores barganhas. Comprei uns lenços de seda tailandesa para dar de presente, o Guilherme aproveitou para comprar gravatas e a Leticia levou umas camisetas.

Não faltavam bugigangas, chaveiros, bolsinhas, sandálias e até aquele típico chapéu de coletor de arroz (que fez o maior sucesso com a galera). Para quem está com saudade do ocidente, há um Irish pub chamado O’Malley’s logo ali.

Night Market - Show das lady boys em Chiang Rai na Tailandia (foto do blog Vontade de Viajar)Foi nesse mercado que vimos o show das “lady boys”. Há um bar onde basta pegar uma mesa e pedir um drink para assistir às performances divertidas e animadas. Na Tailândia, como em alguns países vizinhos, a troca de sexo (com cirurgia ou não) é comum e os travestis fazem parte do cotidiano da sociedade, sem qualquer alarde de preconceito. Aliás, às vezes é bem difícil distinguir as moças nascidas mulheres daquelas transformadas.

Na próxima cidade que visitamos, Chiang Rai, o mercado noturno também rendeu experiências marcantes. Diante dos bares e lojinhas de comida, a galera resolveu provar algumas das mais curiosas especialidades gastronômicas do Sudeste Asiático: insetos fritos.

.
O Guilherme experimentou grilos, larvas e besouros. Não sei ao certo se ele ficou satisfeito ou enjoado, mas depois disso ele nem jantou! Podem me acusar pela falta de espírito esportivo, mas eu fiquei fora dessa e comi uma bela pizza.

Tive a impressão de que os night markets do Laos ofereciam mais produtos artesanais, o que é legal para ter souvenirs singulares e valorizar o trabalho da comunidade. O mercado de Luang Prabang foi o que mais me encantou, com suas lanternas e pinturas, lenços e até pantufas feitas à mão.

Night Market - Pinturas no mercado de Luang Prabang (foto do blog Vontade de Viajar)A barganha é prática comum e os vendedores já esperam isso do público. Então vale pedir um preço mais camarada, fazer uma contra-oferta, levar mais alguma coisinha para fazer um pacote e usar um pouquinho as suas habilidades teatrais – sempre mantendo o bom humor, é claro.

Chegando em Siem Reap, no Camboja, o ambiente do night market é completamente diferente, com um ar de camelódromo.

Night Market - O mercado noturno de Siem Reap no Camboja (foto do blog Vontade de Viajar)Lá o grande barato é a Pub Street – com restaurantes e muitos bares de música alta, é o ponto de encontro de todos os viajantes que chegaram até essa pequena cidade em busca das belas ruínas perdidas de Angkor Wat.

A última noitada da nossa viagem foi em um desses bares, o “Angkor What?”. Nos divertimos muito, mas os “buckets” de bebida (aqueles baldes cheios de drink, como os servidos em Vang Vieng) garantiram que os rapazes acordassem no dia seguinte como os próprios personagens de “Hangover”!

Night Market - O bar Angkor What em Siem Reap (foto do blog Vontade de Viajar)

Leia também:
>> De barco pelo rio Mekong – a fronteira entre a Tailândia e o Laos
>> O curioso Templo Branco e suas referências à cultura pop

Share

11 Comentários

  1. Carla disse:

    Bacana! As fotos estão muito legais também.

  2. […] por onde começar? >> Pegando o jeito da Tailândia, em Chiang Mai >> A noite nos mercados da Ásia >> O bizarro e pop Templo Branco >> De barco pelo rio Mekong  >> Vang Vieng: […]

  3. Fabi disse:

    Ai… eu não ia ter coragem de comer insetos fritos, não!! rs

  4. […] para o Laos, mas foi tempo suficiente para termos algumas experiências curiosas por lá, como a degustação de insetos fritos no mercado da […]

  5. […] que aponta os principais entre os mais de 300 templos da cidade e mostra também o imperdível Night Baazar, mercado que atrai centenas de pessoas todas as […]

  6. […] Leia também: >> Templo Branco: um bizarro cenário de conto de fadas. >> De barco pelo Rio Mekong, na fronteira da Tailândia com o Laos. >> A noite nos mercados da Ásia. […]

  7. Leticia Lima disse:

    O show das Lady-boys foi bem engraçado…o espaço era pequeno, mas os(as) meninos(as) arrasaram!

    Ah! A Nanda foi meio boba de não tentar comer os bichinhos.. a larva nem tinha gosto de nada, é que nem batata frita sem gosto! hehe O Grilo já foi mais crocantezinho! Ok, eu confesso que também comi pizza depois, mas experimentei pelo menos! rs

    Luang Prang foi realmente o nightmarket com os souveniers mais originais! Muita coisa feita com muito capricho e super barata. Os bookmarkers de alumínio que eu trouxe pro pessoal do trabalho fizeram o maior sucesso 🙂

  8. […] A serenidade dos templos fica para trás quando começamos a circular pela Khaosan, um clichê inescapável para os viajantes que chegam a Bangkok. Você vai reconhecer: agitação dessa rua foi cenário para a noite de loucuras do filme “Hangover 2”. A rua, tomada por lojinhas e camelôs, tem muitas opções de bares, clubs e barraquinhas de comida que competem pela atenção dos turistas. Também não faltam ofertas de massagens tailandesas, com cadeiras espalhadas sobre as calçadas. Se você ainda não tem uma calça tipo “Alladin” para suas visitas aos templos (onde não se pode entrar de bermuda e nem de calças justas), esse é o lugar para comprar. Já nas cidades mais do interior, você não pode deixar de ir nos mercados noturnos. […]

  9. […] Leia também: >> O templo no alto da montanha, o mais bonito de Chiang Mai. >> A noite nos mercados do Sudeste Asiático. […]

  10. […] Pegando o jeito da Tailândia, em Chiang Mai >> O templo mais lindo de Chiang Mai >> A noite nos mercados da Ásia >> O bizarro e pop Templo Branco >> De barco pelo rio Mekong  >> Vang Vieng: […]

  11. […] todas de Chang, uma das cervejas mais populares da Tailândia (que a gente tomou bastante pelos Night Markets ao longo da viagem!). Até as colunas e pares internas são revestidas de vidro, em alguns trechos com padrões bem […]

Exibir Comentários